Médicos dedicam semana à defesa dos Direitos Humanos

Médicos dedicam semana à defesa dos Direitos Humanos

Debate subordinado ao tema “Medicina e Direitos Humanos: Que realidade? Que futuro?” é o culminar do programa

Associando-se ao Dia Internacional dos Direitos Humanos que se assinala a 10 de dezembro, a Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) está a levar a cabo, de 6 a 10 de dezembro, várias iniciativas no sentido de chamar a atenção para os valores básicos a defender no atual contexto pandémico que tem provocado grandes desafios sociais, económicos, éticos e jurídicos sendo o Direito à Saúde um dos mais visados. Esta semana sob o lema “A Medicina e os Direitos Humanos” culminará com o debate dedicado a esta temática, com a participação de representantes da comunidade médica que se tem dedicado, entre outras, às respostas em emergência e catástrofe. 

Foi com a visita à Fundação ADFP, em Miranda do Corvo, que a SRCOM iniciou o programa desta semana no sentido de conhecer com detalhe o Projeto de Acolhimento a Refugiados. ” Dedicamos uma semana aos Direitos Humanos, conhecendo, no terreno, as respostas de instituições de intervenção social e humanitária. Temos de trabalhar, todos, numa sociedade global, de forma solidária, respeitando os valores da entreajuda, olhando para o valor de cada pessoa. Foi muito importante perceber – e destacamos – o facto do SNS ajudar, também, ao acolhimento aos refugiados, designadamente nos programas de vacinação”, assumiu o presidente da SRCOM, apontando o 73º aniversário da Proclamação da Carta dos Direitos do Homem como um instrumento crucial também na defesa do direito à saúde. “A ADFP contribuiu decisivamente para o acolhimento de refugiados desde 2014, razão porque estamos aqui a conhecer o projeto”. Carlos Cortes assinala uma das conquistas mais importantes em Portugal, o Serviço Nacional de Saúde, e refere em termos globais: “A saúde está muito ligada à liberdade. Para termos liberdade, temos (também) de ter saúde”. Já sobre a ADFP, Carlos Cortes destacou o mérito e a importância desta instituição que “mesmo recebendo pessoas diferentes, dá-lhes igualdade, ajuda e apoio”.

Jaime Ramos, Presidente da Fundação ADFP, e Dalila Salvador (Fundação ADFP / Centro de Acolhimento para Refugiados e Sem-Abrigo) explicaram à comitiva da Ordem dos Médicos (Carlos Cortes e Marta Vale Matos) todas as circunstâncias de acolhimento, explicando que cada caso e cada família são casos específicos. “Quando recebemos pessoas individuais, temos de partir do princípio de que somos um ‘porto de passagem’ porque essas pessoas não têm aqui uma rede de amigos ou familiares. Quando chegam com as famílias é mais fácil a integração”. Por seu turno, Dalila Salvador explicou: “Quando chegam as famílias, a integração dos filhos é uma parte muito importante. Em Miranda do Corvo, atualmente, temos quatro famílias. O último grupo que recebemos são do Afeganistão, duas jogadoras de futebol. Por exemplo, as crianças passados quinze dias já sabem palavras em Português”. No final desta visita, Marta Matos, médica interna de Medicina Geral e Familiar atualmente no Centro de Saúde-escola Norton de Matos e membro da SRCOM destacou o trabalho efetuado pela Fundação ADFP: “Foi muito interessante ouvir e perceber o enquadramento no acolhimento aos refugiados na nossa sociedade, bem como a adaptação cultural e social dos migrantes acolhidos em Portugal através da ADFP”.

# Eis o programa detalhado desta semana:  

  • 6 de dezembro (segunda-feira), 12h00 | Projeto Acolhimento de Refugiados / Visita à Fundação ADFP, em Miranda do Corvo 
  • 9 de dezembro (quinta-feira), 11h00 | Centro de Prevenção e Tratamento do Trauma Psicológico / Reunião com a Direção do Centro de Responsabilidade Integrado de Psiquiatria (visita ao Hospital Sobral Cid)
  • 9 de dezembro (quinta-feira), 14h30 | Reunião na sede da ONGD ‘Saúde em Português’ (Av. Elísio de Moura, nº 417 r/c-L.3, Coimbra)
  • 10 de dezembro (sexta-feira), 21h30 | Mesa-redonda “Medicina e Direitos Humanos: Que realidade? Que futuro?”, Ordem dos Médicos 

A Mesa-redonda, subordinada ao tema Medicina e Direitos Humanos: Que realidade? Que futuro?,decorrerá no dia 10 de dezembro, pelas 21h30, numa sessão em direto transmitida nas plataformas digitais (Facebook e Zoom)estando os oradores na Sala Miguel Torga da SRCOM. Serão intervenientes:  

  • Mensagem inicial – Morris Tidball-Binz, Médico e Professor de Medicina Forense, Relator Especial das Nações Unidas para as Execuções Judiciárias e Extra-Judiciais; Membro do Centro Universitário de Coimbra para as Ciências Forenses, Humanitárias e Direitos Humanos (mensagem gravada em português)
  • Carlos Cortes | Presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos
  • Duarte Nuno Vieira | Professor Catedrático de Medicina da Universidade de Coimbra; É o atual Presidente do Conselho Científico Consultivo do Tribunal Penal Internacional, Presidente da Rede Ibero Americana de Instituições de Medicina Legal e Ciências Forenses, Presidente do Observatório para os Direitos Humanos dos Países de Língua Oficial Portuguesa e Presidente da Academia Nacional de Medicina de Portugal
  • António Gandra d´Almeida |Mestrado Europeu de Medicina da Catástrofe; Major médico dos quadros permanentes do Exército; Especialista em Cirurgia Geral, com as Competências em Emergência e Medicina Militar da Ordem dos Médicos; Curso de Planeamento e Coordenação em Catástrofe em Rambam, Israel; Membro do Subcomité de Fundamentals Disaster Management da Sociedade Americana de Cuidados Intensivos; Coordenação médica do acidente de autocarro na Sertã (2013), missão fogos (Madeira 2016; 15 de outubro de 2017)
  • Francisco George | Médico especialista em Saúde Pública; Foi funcionário da OMS entre 1980 e 1991, Diretor-Geral da Saúde até 2017 e Presidente da Cruz Vermelha Portuguesa entre 2017-2021
  • Hernâni Caniço | Médico de Família, Doutorado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, Fundador da Organização Não Governamental Para o Desenvolvimento ‘Saúde em Português’
  • Jaime Ramos | Médico do Trabalho e de Clínica Geral e Familiar; Presidente da Fundação ADFP; Foi Deputado da Assembleia da República, Presidente de Câmara Municipal de Miranda do Corvo, Governador Civil do distrito de Coimbra e Presidente de Administração Regional de Saúde; É Autor dos livros “Não basta mudar as moscas”, “Deus Natureza” e “Templo no caminho para a Verdade”.  

Partilhe nas redes:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ordem dos Médicos