Livros “João Taborda: um fotógrafo humanista” e “Reflexões em tempos de Pandemia” apresentados na Ordem dos Médicos, em Coimbra

Livros “João Taborda: um fotógrafo humanista” e “Reflexões em tempos de Pandemia” apresentados na Ordem dos Médicos, em Coimbra

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos organizou e promoveu a apresentação dos livros “João Taborda: um fotógrafo humanista” e “Reflexões em tempos de Pandemia”, este último a mais recente obra do médico internista e infeciologista José Poças. As obras, com chancela da By The Book, foram apresentadas na sessão que decorreu na Sala Miguel Torga da sede da SRCOM e nas plataformas digitais da SRCOM, no dia 13 de novembro, sábado, pelas 11h00.

Foram oradores: Carlos Cortes, Presidente da SRCOM; Fátima Caeiro Taborda, Médica Pneumologista e autora do livro “João Taborda: um fotógrafo humanista”; Vasco Taborda, filho do médico João Taborda; José Poças, Médico Internista e Infeciologista e autor do livro “Reflexões em tempos de Pandemia”; José Barata, Médico Internista e apresentador da obra “João Taborda: um fotógrafo humanista”; Paulo Nossa | Professor Auxiliar da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC) e apresentador da obra “Reflexões em tempos de Pandemia”; José Saraiva da Cunha, Professor catedrático da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, Ex-Diretor do Serviço de Doenças Infeciosas do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra (SDI-CHUC) e apresentador da obra “Reflexões em tempos de Pandemia”; Maria João Paiva Brandão e Ana de Albuquerque, ambas da Editora da By The Book.

Carlos Cortes, ao intervir na sessão de abertura deste evento, distribuiu encómios aos autores destas duas obras e não deixou de sublinhar, também, um outra obra “com grande sentido hipocrático e com “grande significado humanista” do médico José Poças, que foi coordenador do livro “A relação médico-doente”, obra da Ordem dos Médicos. Em “Reflexões em tempos de Pandemia”, assume o presidente da SRCOM, sente-se “uma visão mais íntima da vida, o desenvolvimento de todos os esforços para o bem-estar do doente”. Ao livro de fotografias, Carlos Cortes dedicou uma reflexão sobre “a intimidade do olhar”. Concluiu, agradecendo a presença de todos, quer presencialmente quer nas plataformas digitais: “São duas intimidades que muito me tocaram”.

Partilhe nas redes:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ordem dos Médicos