Médico e artista plástico Luís Carvalho ofereceu quadro que evoca Miguel Torga

Médico e artista plástico Luís Carvalho ofereceu quadro que evoca Miguel Torga

Corria o ano de 1966 quando o então estudante de Medicina recém chegado à cidade de Coimbra,  Luís Manuel Teixeira Neves de Carvalho, comprava, em fascículos, na livraria Almedina (Rua Ferreira Borges), um livro do médico Adolfo Rocha cuja obra ficaria para sempre imortalizada com o pseudónimo Miguel Torga. Mais tarde, já com a obra completa daquele autor, mandou encadernar nas outra famosas oficinas da Penitenciária de Coimbra.

O fascínio pela escrita do médico transmontano permaneceu até hoje, sendo que Luís Carvalho, também ele transmontano (nasceu em Mirandela em 1946), sempre mostrou grande apetência pelas artes, no seu caso, uma enorme paixão pela pintura.

Em 2007, realizou uma exposição na Ordem dos Médicos e “as obras andaram num périplo pelo país” e “por circunstâncias várias nunca foi possível dar uma obra à Ordem dos Médicos”  mas tal desejo ficou. A concretização dessa vontade viria a concretizar-se agora, precisamente, no auditório da Ordem dos Médicos em Coimbra, a Sala Miguel Torga.

A oferta à Ordem dos Médicos de um quadro que evoca Miguel Torga, obra com assinatura do distinto médico Luís Carvalho, foi concretizada na tarde do dia 7 de outubro e contou com as presenças do presidente do Conselho Regional do Centro da Ordem dos Médicos, Carlos Cortes, do secretário do Conselho Regional do Centro da Ordem dos Médicos, Armando Marques Neves, e da vogal do Conselho Regional do Centro da Ordem dos Médicos, Inês Mesquita, estando ainda por via remota muitos outros elementos deste órgão executivo.

Na ocasião, o médico e o artista plástico disse que foi encontrando, recentemente e em diversos eventos, o atual presidente da SRCOM e dada a empatia criada e reconhecendo o trabalho de toda a equipa da OM do Centro, ficou com a convicção de que deveria concretizar a oferta. Em nome de todos, Carlos Cortes agradeceu “muito sensibilizado” este gesto que engrandece o espólio da instituição.

# o autor da obra: Luís Carvalho

Concluído o curso, radica-se em Viseu onde exerceu cargos profissionais de relevo. Foi Diretor do Centro de Saúde e Autoridade de Saúde em S. Pedro do Sul, Presidente da ARS Viseu 1985/1998, Coordenador da Saúde Ocupacional do Distrito de Viseu e Presidente do Conselho de Administração do Hospital S. Teotónio em dois períodos 1988/1996 e 2002/2003.

Tem a competência em Hidrologia Médica, atribuída pela Ordem dos Médicos (foi médico nas Termas da Felgueira durante 10 anos) e integrou a equipa médica do A.M.P. da Casa de Saúde S. Mateus. Foi Presidente da Assembleia Municipal de S. Pedro do Sul em dois mandatos sucessivos, 1985/1989 e 1989/2003.

Na Ordem dos Médicos foi vogal do Conselho Distrital de Viseu, nos triénios de 181/1983 e 1984/1986.


Durante o período escolar, 1958/1969 praticou Futebol Federado, tendo sido atleta do Sport Club de Mirandela, Grupo Desportivo de Chaves e Clube de Futebol União de Coimbra.


Em 1969 foi chamado para o serviço militar obrigatório e, desde o inicio do Curso de Oficiais Milicianos, (COM), foi selecionado para futuro Comandante de Companhia. Como alferes miliciano esteve em Cabinda-Angola em 1970/71 (Estágio de Comando em zona operacional) e depois esteve mobilizado na Guiné, como Comandante da Companhia de Caçadores nº 3544, sediada no leste em Buruntuma (1972/1974), com o posto de capitão miliciano. Aposentou-se em 2005 como Chefe de Serviço de Saúde Pública.


Depois da Medicina a sua inclinação e paixão vai para a pintura, pelo fascínio das cores, das formas, ora precisas ora abstratas. Tal sempre constitui o complemento estético e lúdico da sua entrega à Saúde Pública.


Os amigos são os destinatários dos seus quadros. E, agora, a Ordem dos Médicos, também.

Partilhe nas redes:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ordem dos Médicos