Coimbra acolheu a última cerimónia de Juramento de Hipócrates em 2019

Coimbra acolheu a última cerimónia de Juramento de Hipócrates em 2019

Cento e oitenta e quatro jovens médicos fizeram, em Coimbra, o seu Juramento de Hipócrates. Nas boas-vindas à profissão, os responsáveis da Ordem dos Médicos não esconderam "o momento particularmente difícil" que a Saúde atravessa em Portugal, dirigindo críticas à tutela, ali representada pelo Secretário de Estado da Saúde, o médico ortopedista António Sales. Na Oração de Sapiência, o professor Adalberto Campos Fernandes propôs um cessar-fogo na Saúde.

Numa cerimónia plena de significado para os jovens médicos, coube ao Coro da Ordem dos Médicos iniciar este evento solene, logo secundado por outra atuação artística protagonizada pelo grupo "Na Cor do Avesso". Todos protagonizaram momentos de alegria e de criatividade, merecendo rasgados aplausos.

Ao anfitrião da cerimónia, o presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, coube a primeira intervenção dando, desde logo, as boas vindas a todos os que acorreram ao auditório principal do Convento São Francisco.  E, de pronto, traçou o retrato da área da Saúde: "falta grave de recursos humanos"; "desvalorização gritante da formação médica de excelência" uma vez que, neste caso, o Ministério da Saúde está a criar graves consequências aos médicos internos pois são "mão de obra barata"; "acesso desigual à saúde" entre o litoral e o interior; "péssimas infraestruturas" e "equipamentos obsoletos"; "sistemas informáticos desadaptados" das necessidades.

Ao agradecer a presença de um governante, pela primeira vez nesta cerimónia em Coimbra, Carlos Cortes respondeu ao repto que o secretário de Estado da Saúde, António Sales, tinha lançado no Juramento em Lisboa para que os jovens não emigrem. Afirmou o presidente da SRCOM: "Os médicos não querem emigrar nem sair do Serviço Nacional de Saúde mas precisam de ter condições nos centros de saúde e nos hospitais onde trabalham para poder praticar medicina de qualidade e tratar os doentes com toda a dignidade". Disse, dirigindo-se ao governante: "Depositamos em si uma esperança renovada"; "não desiluda os médicos nem os doentes". Carlos Cortes evocou a importância histórica do Juramento de Hipócrates, defendendo que tudo o que os médicos necessitam "em momentos de dificuldade" está inscrito neste juramento milenar proveniente da Grécia Antiga. Na sua intervenção apelou a que os novos médicos defendam sempre "a entrega ao doente e a sua centralidade no sistema de saúde, mas também na vossa vida".

Na sua intervenção, o bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, disse entretanto aos jovens médicos que escolheram "a profissão mais desafiante, mas simultaneamente" mais bonita de todas, recordando que em todos os momentos da vida que os espera estarão a servir a causa pública. Depois, o bastonário pediu aos novos médicos que, perante as dificuldades que encontrarão no Serviço Nacional de Saúde, nunca se desviem do que os levou a escolher Medicina. 

O antigo ministro da Saúde e responsável pela oração de sapiência deste juramento, reiterou a esperança no futuro dos jovens médicos, lembrando que escolheram "a profissão mais maravilhosa do mundo" e onde terão a oportunidade de protagonizar uma "mediação entre a injustiça, a desigualdade e o humanismo". "Altruísmo, entrega, dádiva e serviço aos outros" destacou Adalberto Campos Fernandes como sendo necessárias no exercício da profissão. O médico e gestor defendeu que o Serviço Nacional de Sáude tem de ser construído com os médicos e que de nada serve sequestrá-los, apelando depois a um cessar-fogo no ambiente que se tem vivido na saúde através de um clima de diálogo entre todos.

O Secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, comprometeu-se a criar laços com os médicos e reconheceu que são "o projeto do nosso país" e "uma geração muito qualificada e bem preparada". Recordando que também fez o Juramento de Hipócrates em Coimbra, António Sales admitiu que "o Governo está consciented e que muito há ainda a fazer na área da Saúde e, para isso, trabalha todos os dias com os diversos profissionais e várias entidades para que haja melhor Saúde". Afirmou o governante: "O SNS precisa de vocês para se modernizar", garantindo esforços redobrados para que "todos possam ter acesso a especializações".

Numa cerimónia conduzida pela médica Carolina Aires, a fotografia de grupo foi o momento que culminou este dia comovente e de muita felicidade para os jovens médicos, familiares e amigos.

 

 

 

Partilhe nas redes:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ordem dos Médicos