“A formação médica de qualidade é absolutamente imprescindível para a qualidade dos cuidados de saúde”

“A formação médica de qualidade é absolutamente imprescindível para a qualidade dos cuidados de saúde”

Depois do sucesso da primeira edição do Start MGF que abrangeu apenas internos de primeiro ano de Medicina Geral e Familiar da Administração Regional de Saúde do Centro, este ano, idêntica iniciativa acolhe internos oriundos de todo o país.
O Start MGF nasceu no ano de 2018, com o apoio da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, com o objetivo de fornecer algumas bases importantes, quer da prática clínica, quer do percurso curricular aos novos internos de Medicina Geral e Familiar. Tal como na primeira edição, os objetivos mantêm-se, isto é, trabalhar no aperfeiçoamento contínuo desta formação de forma a corresponder às expectativas, aproximar os internos e tornar acessível a formação de qualidade.
Na sessão de abertura, Paulo Lopes, presidente da Comissão Organizadora do Start MGF 2019, explicou que este curso terá uma avaliação opcional a realizar no dia 16 de fevereiro e agradeceu desde logo o apoio da SRCOM desde a primeira hora. Agradecimentos que estendeu ao Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra (ISCAC). Pelo apoio científico, Paulo Lopes agradeceu à Sociedade Portuguesa de Diabetologia e à Associação Portuguesa Medicina Geral e Familiar. Paulo Lopes agradeceu ainda a presença ao Vogal do Conselho Diretivo da Administração Regional de Saúde do Centro, Mário Ruivo, dando mostras que apoia a formação, designadamente de MGF.
Para a vice-presidente da Comissão Organizadora, Joana Matos (que ali representou também a Comissão de Internos da Zona Centro) destacou a forte adesão deste ano e enalteceu a honra de integrar esta comissão organizadora depois de ter sido participante na primeira edição. "Espero que o curso corresponda às vossas expectativas", vaticinou. "Estamos sempre disponíveis para as vossas sugestões e dúvidas na vossa formação".
De seguida, coube ao vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Diabetologia Hélder Ferreira, intervir nesta sessão lembrando que "A diabetes abrange uma série de áreas de especialidade mas onde a Medicina Geral e Familiar tem a primazia".
Perante um auditório com mais de duas centenas de jovens profissionais, o presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, Carlos Cortes, colocou o acento tónico na necessidade de almejar formação de qualidade. Na sua intervenção na sessão de abertura do Start MGF II, enfatizou ainda o êxito da sessão pioneira do ano passado e o facto de médicos internos organizarem cursos para os seus colegas também internos. "Com entusiasmo e satisfação percebo que estes eventos têm êxito". De tal forma que, diga-se, há outras especialidades já a organizar cursos com este conceito. "A formação médica na Ordem dos Médicos é, aliás, uma das suas 'joias da coroa'. A qualidade da formação médica é absolutamente imprescindível para a qualidade dos cuidados de saúde", sublinhou.
Ao acentuar o papel da SRCOM na defesa da qualidade da formação, Carlos Cortes exortou os jovens médicos para que adiram à luta na defesa da qualidade. "Os doentes necessitam de qualidade e para nós conseguirmos tratar bem os nossos doentes, temos de ser bons profissionais". O dirigente da Ordem dos Médicos acentuou ainda o papel crucial dos orientadores de formação neste trajeto em prol da qualidade e não deixou de defender a existência de condições de acolhimento para os médicos internos nos centros de saúde. Ao lembrar-lhes a obrigação ética no processo de aprendizagem, de transmitir conhecimento de geração em geração, Carlos Cortes apontou ainda a necessidade de estarem atentos à ética e à deontologia.
Finalmente, nesta sessão de abertura, Mário Ruivo destacou também a importância destes cursos e desta formação. O representante da ARS Centro também sublinhou a capacidade de organizativa dos internos em prol de outros internos, lembrou ainda os excelentes indicadores de saúde do Serviço Nacional de Saúde graças ao profissionalismo e capacidade do trabalho dos médicos, designadamente na rede de cuidados primários. "Estamos preocupados em criar as melhores condições para todos os profissionais, nos últimos anos conseguimos recuperar algum investimento na área da Saúde", declarou Mário Ruivo, anuindo e concordando para algumas das intervenções do presidente da SRCOM sobre a falta de condições nas unidades de saúde. "Ainda hoje será aprovado o concurso para o lançamento da obra do Centro de Saúde Fernão de Magalhães", anunciou, a título de exemplo. Mário Ruivo lembrou ainda que estão a ser envidados os esforços por parte da tutela para que todos os portugueses tenham médico de família. Por fim, enalteceu o programa deste curso por integrar os cuidados de saúde primários com os cuidados hospitalares.
O Start MGF 2019 que teve início, hoje, no ISCAC, prolonga-se até 2 de Fevereiro de 2019 no Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra.

Partilhe nas redes:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ordem dos Médicos