“A qualidade da formação médica portuguesa é elogiada em toda a Europa”

“A qualidade da formação médica portuguesa é elogiada em toda a Europa”

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM), através do Gabinete de Formação Médica, em colaboração com a Comissão Regional do Internato Médico da Zona Centro promoveram o I Encontro do Internato Médico da Zona Centro – orientadores de formação e médicos internos, cujo evento decorreu na cidade de Aveiro.
Lembrando o crescimento do Hospital Infante D. Pedro, de Aveiro, – uma das três unidades hospitalares do Centro Hospital do Baixo Vouga (CHBV) criado em 2011 – a atual presidente do Conselho de Administração do CHBV lembrou que abraçou esta iniciativa com entusiasmo desde o primeiro momento. Na sessão oficial de abertura do Encontro, Margarida França abordou o crescimento de produção, nomeadamente no âmbito de cirurgia de ambulatório, dizendo até o hospital irá ocupar o espaço do estádio municipal, do outro lado da rua. "Números que nos deixam bem posicionados, nomeadamente no que se refere à cirurgia de ambulatório e ao facto do número de cesarianas ter decrescido", afirma. Falando para os médicos internos, vaticinou: "Que a vossa formação corra de acordo com as vossas expectativas e que, sobretudo, se sintam realizados para que possam ser felizes, para que, dessa forma, os nossos doentes possam ser mais bem tratados".
Por seu turno, João Carlos Ribeiro, presidente da Comissão Regional do Internato Médico da Zona Centro, centrou a sua intervenção nalgumas mudanças nesta área. Citou, então, o fim do Harrison; a necessidade de maior profissionalismo dos orientadores de formação , de modo a almejar a melhoria da qualidade assistencial aos nossos doentes. "Temos de ter um profissionalismo ainda maior e um dos passos à apostar na formação dos orientadores". Na opinião do Professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, a melhoria do internato contribui para a melhoria assistencial dos nossos doentes. "Temos de melhorar a estrutura dos orientadores de formação no internato em Portugal, isso sim, vai ser uma mudança de paradigma na formação em Portugal", acentuou.

Coube, em seguida, à presidente da Sub-região de Aveiro da Ordem dos Médicos, Beatriz Gusmão, intervir nesta cerimónia que marcou o início formal desta iniciativa que teve lugar a 16 de novembro, no auditório Diatosta do Hospital Infante D. Pedro do Centro Hospitalar do Baixo Vouga (CHBV). Destacando a longa tradição na formação médica "já longa" no CHBV, Beatriz Gusmão acentuou: "Aqui temos uma carga assistencial muito grande e quase todos somos chamados a dar formação – que é uma obrigação hipocrática – e temos cumprido. A nós, profissionais de saúde, é-nos exigido algo que não se aprende na Faculdade de Medicina – não são conhecimentos técnico-científicos – que é sermos pessoas capazes de aprender, de nos relacionar com os doentes e todos os profissionais de saúde. Reuniões como esta podem ajudar-nos a sermos melhores no dia-a-dia". Mesmo considerando que o Internato Médico está bem orientado, os "orientadores de formação também precisam de formação", lembrando que é crucial a formação pós-graduada.

Falando do ineditismo deste encontro regional, Carlos Cortes agradeceu todo o apoio das entidades e a equipa organizadora do "I Encontro do Internato Médico da Zona Centro – orientadores de formação e médicos internos", enaltecendo o empenho dos médicos internos ali presentes. "Para a Secção Regional do Centro é muito importante a qualidade da formação médica. Aliás, é muitas referida, que a qualidade da formação médica portuguesa é elogiada em toda a Europa. Prova disso, vários países dão indicações para construírem a formação médica, tendo em conta aquilo que em primeiro lugar foi desenhado em Portugal". Enfatizando a existência de um longo caminho a percorrer nesta matéria, Carlos Cortes assinala que "aquilo que se faz em Portugal, orgulha o nosso país". Sublinhando o orgulho e o mérito da escolha da cidade de Aveiro para este evento inaugural, Carlos Cortes elogiou, de pronto, o Hospital de Aveiro: "sabemos que os hospitais, este hospital, e os centros de saúde atravessam grandes dificuldades. Mas apesar de todas as dificuldades desta instituição nunca senti falta de vontade de ensinar. Aqui não se veem os internos a tapar buracos dos especialistas, como se vê noutros hospitais. (…) É pela qualidade da formação que a primeira opção de muitos médicos é por este hospital e é aqui que querem permanecer".
Recorde-se que este encontro visou evidenciar as práticas de excelência na formação médica na região centro, com enfoque principal no distrito de Aveiro; criar um espaço de reflexão sobre formação médica pós-graduada, com sessões científicas e apresentação de trabalhos de investigação; reforçar a relação entre os orientadores de formação e médicos internos.

O encontro contou ainda com a atribuição de prémios para as melhores comunicações livres apresentadas sob a forma de posters que se destacaram pela relevância para a formação médica no internato.

Eis os prémios atribuídos:
· 1º – Prémio Ageas/SRCOM no valor de 4000€, aplicáveis em estágio ou formação no estrangeiro e um livro oferecido pela Câmara Municipal de Aveiro (CMA): "Ser Orientador de Formação Específica em Especialidades Cirúrgicas", de Nádia Laezza.

· 2º – Prémio SRCOM no valor de 2500€, aplicáveis em estágio ou formação no estrangeiro e um livro oferecido pela Câmara Municipal de Aveiro (CMA): "MGF Scape – Uma Nova Perspectiva para a Colaboração Interdisciplinar", Carlos Cardoso.

· 3º – Prémio Formação SRCOM no valor de 1000€, aplicáveis em formações disponíveis no portal da SRCOM, um cheque-livro no valor de 75€ da Lidel® e um livro oferecido pela Câmara Municipal de Aveiro (CMA): "Fotografia da Formação específica em Psiquiatria pela lente dos Médicos Internos: o trapézio sem rede", de Rita Almeida Leite.

· 4º – Assinatura de uma revista científica à escolha do vencedor, pelo período máximo de 12 meses, até um valor de 250€ e um livro oferecido pela Câmara Municipal de Aveiro (CMA): "Avaliação do Grau de Satisfação Global dos Internos de Primeiro Ano de Medicina Geral e Familiar da Região Centro", de Teresa Amaral.

· 5º – Assinatura de uma revista científica à escolha do vencedor, pelo período máximo de 12 meses, até um valor de 150€ e um livro oferecido pela Câmara Municipal de Aveiro (CMA): "Empatia Médica na Consulta de Medicina Geral e Familiar", de Catarina Domingues.

Foi ainda atribuído o Prémio Inovação, que visava distinguir o serviço, unidade de saúde, hospital ou Agrupamento de Centros de Saúde da região centro (abrangidos pela área de influência da SRCOM) por ter desenvolvido ou estar a desenvolver um projeto de relevo na área da formação médica no internato. O prémio foi para a Unidade de Formação e Investigação do ACES Baixo Vouga. Autores: Bárbara Chaves, Ana Margarida Adão.

 

 

Partilhe nas redes:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ordem dos Médicos