António Arnaut recebeu medalha de mérito da Ordem dos Médicos em 2016

António Arnaut recebeu medalha de mérito da Ordem dos Médicos em 2016

Faleceu hoje o Dr. António Arnaut. Político, advogado, escritor. A sua obra e o seu pensamento perdurarão para sempre. Deixou-nos um legado incomensurável: O Serviço Nacional de Saúde, do qual foi um dos fundadores. Tinha 82 anos.

 A 4 de novembro de 2016, o Dr. António Arnaut foi a primeira personalidade fora da área da Medicina a receber a Medalha de Mérito da Ordem dos Médicos, no âmbito do Congresso Nacional de Medicina que se realizou no auditório da SubUnidade 3 da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra. Trata-se de uma distinção que é conferida a médicos que, pela sua atividade e mérito pessoal, profissional, académico ou associativo tenham contribuido de forma relevante para a dignificação da profissão médica, da Medicina em geral e da Humanidade, identificando-se assim com os valores desde sempre defendidos pela Ordem dos Médicos.

Conhecido e reconhecido por ser um cidadão íntegro, inteiro. Lisura de carácter. Foram inúmeras as homenagens que recebeu em Coimbra e no resto do País. Foi imortalizado no Parque Manuel Braga, em Coimbra, no dia da cidade (4 de julho 2016). Pouco tempo depois, outro busto do fundador do Serviço Nacional de Saúde (SNS) foi descerrado (15 de setembro de 2016) no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), precisamente durante as celebrações do 37.º aniversário do SNS. Tempos antes, em Abril do mesmo ano, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, agraciou-o com a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade e o júri do Prémio Nacional da Saúde atribuiu-lhe o Grande Colar, a título honorífico. No entender de António Arnaut, recorde-se, "o Serviço Nacional de Saúde é a trave-mestra da democracia social". Eis, pois, alguns momentos do justo reconhecimento desta conquista civilizacional, em prol de todos os que necessitam de amparo e de cuidados de saúde.

Nasceu na freguesia da Cumieira, Penela, em 1936. Desde estudante, participou nos movimentos oposicionistas contra a ditadura. Fez parte da Comissão de Candidatura do General Humberto Delgado à Presidência da República (1958), integrou a Acção Socialista Portuguesa (1966), foi candidato a deputado pela CDE de Coimbra (1969) e é um dos fundadores do Partido Socialista (1973), a cujo Congresso constitutivo presidiu e de que foi dirigente até se afastar da política ativa, corria o ano de 1983.

É um dos autores da Lei que criou o Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Em 2014, ao assinalar 60 anos de vida literária (poesia, ficção, ensaio e conferências), com o livro "Cavalos de Vento -poesia e prosa", assumiu: "O SNS é o meu melhor poema".

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos decretou luto expressando profundo pesar pelo falecimento do Dr. António Arnaut. 

Á família enlutada, a Secção Regional do Centro endereça sentidas condolências.

 

Coimbra, 21 maio 2018 

 

 

Partilhe nas redes:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ordem dos Médicos