Carlos Cortes entrevistado na Rádio Universidade de Coimbra, no programa 1111

Carlos Cortes entrevistado na Rádio Universidade de Coimbra, no programa 1111

 

O presidente do Conselho Regional do Centro da Ordem dos Médicos, Carlos Cortes, é o entrevistado de hoje no programa 1111 da Rádio Universidade de Coimbra – 107.9 FM. Conduzido pela jornalista Isabel Simões, o programa (gravado hoje de manhã por motivos de agenda do médico patologista clínico) tem como tema fulcral a Saúde na Região Centro.

Carlos Cortes 'passou em revista' e analisou os principais problemas deste setor, designadamente a falta de recursos humanos e materiais, a ausência de planeamento face ao plano de contingência da gripe – módulo inverno, entre muitos outros.

A dado momento, Carlos Cortes diz:

"Na sequência de uma visita ao Hospital Pediátrico de Coimbra, constatámos que a equipa multidisciplinar estava com o coração nas mãos devido à ausência de camas e de material básico para as situações da gripe sazonal. A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos ficou surpreendida com a resposta do próprio hospital uma vez que desvalorizou o nosso alerta", aludiu. Carlos Cortes não deixou de notar que se trata de população sensível e vulnerável. Neste âmbito, o presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) reiterou a necessidade de se proceder ao planeamento atempado do plano da gripe para o próximo ano, articulando, desde já, a rede de cuidados de saúde primários com os serviços hospitalares. Urge também, a seu ver, apostar em campanhas de informação à população. Aliás, o presidente da SRCOM colocou também o acento tónico na necessidade de aumentar os índices de literacia em saúde da população portuguesa. 

Foi também matéria de reflexão nesta entrevista, a falta de articulação entre os serviços de urgência dos Hospitais da Universidade de Coimbra e o Hospital Geral (conhecido como Hospital dos Covões): "A urgência dos Covões funciona como uma loja de um centro comercial (…). O Conselho de Administração do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra deve explicar à população o que vai ser a urgência dos Covões. É urgente resolver esta situação", exortou o presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, acrescentando que, nesta matéria, "andamos ao sabor dos dias". Outras matérias deram igualmente o mote para a avaliação negativa de Carlos Cortes aos organismos públicos que atualmente tutelam o setor da Saúde. A ausência de concurso para os 710 recém-especialistas é um desses exemplos.

Para ouvir em RUC, hoje, a partir das 21h00.  

 

 

 

Partilhe nas redes:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ordem dos Médicos