Carlos Cortes destaca a “marca da inovação técnica” da Medicina Interna

Carlos Cortes destaca a “marca da inovação técnica” da Medicina Interna

 

Coimbra acolheu as X Jornadas do Núcleo de Estudos das Doenças do Fígado (NEDF) da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI), evento científico presidido pelo Prof. Doutor Armando Carvalho, que lidera o Serviço de Medicina Interna A do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra. Nos dias 7 e 8 de outubro, os especialistas em Hepatologia reúnem para discutir, entre outras temáticas, a hepatite B e C, uma causa importante de morte e de indicação para transplante hepático. Presente na cerimónia de abertura, Carlos Cortes, presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM), destacou o papel determinante da Medicina Interna na formação médica. "Fico muito satisfeito pelo facto da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna e do Colégio da Especialidade da Ordem dos Médicos estão juntos nesta questão. Esta visão de que a formação médica não existe, apenas, com o intuito do saber pelo saber mas, antes, pela visão que aqui expressam no sentido em que a formação médica tem como objetivo primordial tratar os doentes cada vez melhor". Neste encontro científico – que centrou o debate em temas como o fígado gordo, as doenças hepáticas autoimunes, a cirrose hepática, os nódulos hepáticos, as hepatites virais – Carlos Cortes salientou o elevado nível de exigência da formação médica em Portugal como garante da qualidade assistencial, e, em especial, a capacidade dos internistas "na divulgação do conhecimento" e como "marca na inovação técnica". O presidente da SRCOM sublinhou, por isso, o reconhecimento da Ordem dos Médicos pelo contributo dos internistas na divulgação do saber e, recordando acontecimentos mais recentes, "a coragem" na defesa técnica dos interesses dos doentes e na "defesa incessante pela qualidade da medicina". Carlos Cortes reporta-se, designadamente, aos doentes de Hepatite C: "Apesar de pressões políticas, nunca vacilaram no interesse do doente. Hoje muito doentes estão melhor em Portugal, por causa da vossa intervenção".
Foram intervenientes nesta sessão: Armando Carvalho, que lidera o Serviço de Medicina Interna A do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e presidente do Colégio da Especialidade de Medicina Interna da Ordem dos Médicos; Luís Campos, Presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna; Maria Jesus Banza, atual coordenadora do Núcleo de Estudos das Doenças do Fígado; José Pedro Figueiredo, Diretor Clínico do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra.

 

Recorde-se que as hepatites B e C atingem perto de 2% dos portugueses e são uma causa importante de morte e indicação frequente para transplantação hepática.

 

Partilhe nas redes:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ordem dos Médicos