SRCOM e CHUC assinam Carta de Intenções no âmbito do Projeto “Saúde e Bem-Estar dos Profissionais de Saúde”

SRCOM e CHUC assinam Carta de Intenções no âmbito do Projeto “Saúde e Bem-Estar dos Profissionais de Saúde”

 O presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, Carlos Cortes, e o presidente do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), Martins Nunes, assinaram hoje uma Carta de Intenções no âmbito do projeto "Saúde e Bem-Estar dos Profissionais de Saúde".

O desenvolvimento deste projecto aposta, nesta fase da sua evolução, na continuidade do investimento na prevenção primária e no garante, ao nível da intervenção, de uma resposta rápida, eficaz e eficiente perante a “situação-problema”.

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, através do seu Gabinete de Apoio ao Médico, em parceria com o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, através do seu Centro de Prevenção e Tratamento do Trauma Psicogénico (CPTTP), têm vindo a sensibilizar/estimular os profissionais de saúde e as suas instituições, no sentido de promoverem um maior investimento a prevenção da VCPSNLT e de outros factores de risco psicosocial associados ao contexto laboral, a par com a criação/implementação derespostas promotoras da saúde e bem-estar dos profissionais de saúde (Projecto piloto: “Saúde e Bem-Estar dos Profissionais de Saúde”).

 O CPTTP está integrado no Centro de Responsabilidade Integrado de Psiquiatria e Saúde Mental (liderado por António Reis Marques), do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, EPE. Este centro inclui, entre outras respostas ás violências, o Gabinete de Prevenção do Assédio Moral/Sexual. O médico psiquiatra João Redondo (coordenador do Centro de Prevenção e TRatamento do TRauma Psicogénico do CRI de Psquiatria e Saúde Mental do CHUC e membro do Conselho Regional do Centro da Ordem dos Médicos também assistiram à cerimónia de assinatura de protocolos entre o CHUC e instituições hospitalares da região Centro, Algarve e Região Autónoma da Madeira, na qual marcou presença o atual ministro da Saúde, Adalberto Campo Fernandes. 

 

 

 

Eis o texto, na íntegra:

 

CARTA DE INTENÇÕES 

 

Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, EPE

Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos

 

PROJETO "SAÚDE E BEM-ESTAR DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE"

Violência Contra os Profissionais de Saúde no Local de Trabalho (VCPSNLT).

 

Se é um(a) profissional de saúde, e se sente vítima de violência no seu local de trabalho, e necessita de

"falar sobre o seu problema" poderá recorrer ao Gabinete de Apoio ao Médico, da Secção Regional do

Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM), a partir do qual poderá ter acesso a cuidados de saúde no

Centro de Prevenção e Tratamento do Trauma Psicogénico – CHUC e a outros apoios específicos nesta

área. Se é testemunha de cena(s) de violência no local de trabalho, seja solidário(a) com o/a(s)

seu(s)/sua(s) colega(s). Lembre-se que poderá ser "a próxima vítima" e nessa hora o apoio do/a(s)

seu(s)/sua(s) colega(s) também será precioso. Não esqueça que o silêncio e o medo reforça(m) o poder do agressor!" (Gabinete de Apoio ao Médico – SRCOM, Abril 2016).

 O Relatório Mundial da Saúde de 2006 "Trabalhando Juntos pela Saúde" (OMS, 2007), pontua que os prestadores de serviços de saúde são a personificação dos valores centrais

de um sistema, o elo humano que conecta o conhecimento à acção de saúde; sublinha também a centralidade dos recursos humanos para a construção de sistemas de saúde

robustos, tema que na última década ganhou destaque na agenda da saúde global. A Organização Internacional do Trabalho considera a violência no local de trabalho um

problema de saúde pública e um dos cinco riscos emergentes para a saúde e segurança dos trabalhadores no mundo (DGS, 2008). Afectando a dignidade de milhões de pessoas

representa uma séria ameaça (por vezes letal) à saúde dos trabalhadores, ao bem estar das famílias, á eficiência e sucesso das organizações e á afirmação de uma sociedade

onde se pretende que todos os seres humanos nasçam livres e iguais em dignidade e direitos, e ajam uns para com os outros em espírito de fraternidade.

Colocando o enfoque na violência contra os profissionais de saúde no local de trabalho (VCPSNLT), é fundamental para a sua eliminação/atenuação adoptar a nível

institucional uma política de valorização deste tipo de violência, a par com uma "atitude" proativa na prevenção dos factores de risco. Neste enquadramento e visando assegurar o "NÃO À VIOLÊNCIA", é fundamental, que os serviços de saúde dêem visibilidade à VCPSNLT e capacitem recursos e estratégias ao nível da sua organização, com vista à implementação de respostas mais adequadas ás reais necessidades que o "problema" coloca no caso-a- caso. A fim de alcançar estes objetivos importa, entre outros aspectos: adoptar como modelo de "leitura" o modelo ecológico; investir numa abordagem de saúde pública; rejeitar intervir em silo, e promover o trabalho em rede; integrar a saúde, a segurança e o bem-estar dos trabalhadores no desenvolvimento da organização; potenciar vínculos promotores da emergência dos meios necessários para uma ação imediata e sustentável.

Em Portugal a Direcção Geral de Saúde, a fim dar evidência ao "problema" e ajudar a reflectir soluções, criou o Observatório Nacional da Violência Contra os Profissionais

de Saúde no Local de Trabalho, onde estes poderão registar online, de forma amigável e confidencial, informação relativa ao(s) episódio(s) de violência de que eventualmente

possa(m) ter sido / ou esteja(m) a ser vítimas.

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, através do seu Gabinete de Apoio ao Médico, em parceria com o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, através do

seu Centro de Prevenção e Tratamento do Trauma Psicogénico (CPTTP1), têm vindo a sensibilizar/estimular os profissionais de saúde e as suas instituições, no sentido de

promoverem um maior investimento a prevenção da VCPSNLT e de outros fatores de risco psicosocial associados ao contexto laboral, a par com a criação/implementação de

respostas promotoras da saúde e bem-estar dos profissionais de saúde (Projecto piloto:

 

"Saúde e Bem-Estar dos Profissionais de Saúde")

O desenvolvimento deste projecto aposta, nesta fase da sua evolução, na continuidade

do investimento na prevenção primária e no garante, ao nível da intervenção, de uma

resposta rápida, eficaz e eficiente perante a "situação-problema". Acreditamos que a sua

continuidade e sustentabilidade estão e estarão associadas a uma gradual valorização

das políticas institucionais dirigidas à VCPSNLT, a par com a validação de estratégias,

capazes de prevenir e lidar com esta problemática e com os vários "atores sociais" nela

envolvidos.

Partilhe nas redes:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ordem dos Médicos