Lançamento do livro “Jorge Marçal da Silva MAIS cem fotografias de Portugal há cem anos”

Lançamento do livro “Jorge Marçal da Silva MAIS cem fotografias de Portugal há cem anos”

Fotografias, património de afetos. Poderá ser esta a síntese da apresentação do livro "Jorge Marçal da Silva MAIS cem fotografias de Portugal há cem anos", da autoria do urologista Manuel Mendes Silva que decorreu na Sala Miguel Torga da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos.
Ao reunir o espólio do seu avô paterno, conceituado cirurgião, Manuel Mendes Silva fez muito mais do que preservar as imagens de elevado valor artístico, técnico e histórico. Decidiu partilhar e divulgar a obra do avô paterno, com o apoio da Ordem dos Médicos e da sua Secção de História da Medicina. Mas também se quedou por esse contributo cultural ao nosso País. Os valores da venda dos seus livros – elaborados a partir das fotografias há tantos anos guardadas nos baús da família – revertem a favor da Associação Acreditar.
Imagens que testemunham a vida médica e hospitalar, imagens que mostram paisagens e ofícios, instantes que revelam o cunho artístico e criativo de um reputado cirurgião. Fotografias, herança de família, que recentemente foram doadas ao Arquivo Fotográfico Municipal de Lisboa.
Na sessão de apresentação de "Jorge Marçal da Silva MAIS cem fotografias de Portugal há cem anos", Inês Mesquita, Vogal do Conselho Regional do Centro da Ordem dos Médicos, destacou a importância deste legado bem como a honra de acolher o lançamento desta obra, em Coimbra. "É um prazer incrível para a Ordem dos Médicos receber aqui este projeto que liga a família de uma maneira muito especial. Fazemos desta uma noite muito especial e de união", disse, assinalando ainda o caráter solidário da venda da obra reverter para a Acreditar.
Depois do primeiro volume desta coleção, foram agora dadas à estampa mais 100 fotografias inéditas que Manuel Mendes Silva agrupou em seis capítulos. A saber: a família (hábitos, trajes, casas e quinta e laboratório); a medicina e a cirurgia (Hospital S. José e D. Estefânia, em Lisboa); paisagens ("de um Portugal que em muitos aspetos não existe jamais", assevera Manuel Mendes Silva); monumentos e vistas; ofícios e tarefas; feiras e mercados, espetáculos e procissões.
"Na introdução, inclui também fotografias das várias etapas da vida de Jorge Marçal da Silva e do grupo da Escola Médico-Cirúrgica de que foi aluno, e da Escola de Enfermagem de que foi professor e Diretor. Uma curiosidade: o meu avô foi colega e amigo da Carolina Beatriz Ângelo, a única mulher do curso.", contou Manuel Mendes Silva. "A máquina fotográfica do meu avô desapareceu, está em local incerto, assim como o laboratório fotográfico. Mas existem no património familiar ampliadores, aparelhos de visualização (…) e os livrinhos onde o meu avô anotava tudo, as velocidades e aberturas, e como se revelava, quais os líquidos …", acrescentou, perante colegas e amigos, dando conta que as fotografias deste livro estão datadas de 1902 a 1928. "A minha intenção foi dar uma panorâmica desta época histórica, as suas realidades, vidas, costumes e – simultaneamente – apresentar imagens fotográficas que considerei de elevado valor documental e artístico". O médico urologista Manuel Mendes Silva justifica ainda que pretende continuar a "homenagear o avô que foi um homem, médico e artista e revelar a sua arte".
No início da sua intervenção referira: "O meu avô paterno nasceu em 1878 e morreu com 50 anos em 1929. Não passou pela vida sem deixar marca. Foi um homem bom, familiar extremoso, médico ilustre, hábil cirurgião e homem de cultura, conhecido e admirado na época por familiares, amigos, colegas e doentes.". Volvidos tantos anos, Manuel Mendes Silva, antigo presidente do Colégio de Urologia da Ordem dos Médicos, fundador e primeiro presidente da Associação Lusófona de Urologia (entre muitas outras sociedades científicas e profissionais), doa o valor da venda dos livros à Acreditar, fazendo destas fotografias do avô verdadeiras obras na arte da partilha. "A Acreditar, Associação de Pais e Amigos de Crianças com cancro, é uma instituição de solidariedade de causa tão humana, tão nobre, que foi quem escolhi, mais uma vez, para ser doada integralmente a receita obtida".
Depois da apresentação do vídeo da Acreditar – no qual, de forma sucinta, se plasmam o empenho e entrega dos seus mais de 700 voluntários – foi a vez de Alfredo Mota, médico e professor de Urologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, destacar "o entusiasmo [de Manuel Mendes Silva] que tem posto na divulgação de um património familiar inestimável". Cumprimentando todos os presentes, Alfredo Mota destacou a presença dos seus mestres Linhares Furtado e Armando Porto. O diretor do Serviço de Urologia e Transplantação Renal, "amigo de longa data de Manuel Mendes Silva" não deixou de acentuar que "ao folhear o livro" há ali muitos "motivos de interesse", porque permite "uma reflexão mais aprofundada sobre factos, usos e costumes de Portugal de há cem anos". Prosseguiu: "O trabalho de pesquisa, de compilação e organização que o Manuel Mendes Silva fez foi notável, permitindo recuperar do baú das recordações, junto de memórias visuais da época de um Portugal para muitos desconhecido e que seguramente ficaremos agora a compreender melhor", reconhecendo, assim e diretamente, o legado de quase 2000 fotografias captadas pelo médico cirurgião Jorge Marçal da Silva. "Estas preciosidades vão passar a ser conhecidas graças a Manuel Mendes Silva", acentuou Alfredo Mota.
Após a apresentação do livro "Jorge Marçal da Silva MAIS cem fotografias de Portugal há cem anos", da autoria do urologista Manuel Mendes Silva, seguiu-se uma sessão de autógrafos que foram, também, momentos de reencontro entre colegas, amigos e familiares.

 

Partilhe nas redes:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ordem dos Médicos