Ordem dos Médicos no Centro de Saúde Militar de Coimbra

Ordem dos Médicos no Centro de Saúde Militar de Coimbra

O Centro de Saúde Militar de Coimbra inaugurou o Laboratório de Fisiologia do Exercício e o Gabinete de Telemedicina, integrados no Departamento de Saúde Operacional. O presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, Carlos Cortes, esteve na sessão solene.
Na mensagem que enviou, por impossibilidade de compromissos oficiais, o tenente-general José Calçada, que atualmente exerce a função de comandante de Pessoal do Exército, assinalou a diferenciação desta unidade na área da medicina destinada aos militares. Por seu lado, o diretor desta unidade de saúde, tenente-coronel médico Joaquim Dias Cardoso, destacou a presença ininterrupta da Saúde Militar em Coimbra ao longo de 105 anos. Na sua intervenção, explicou os principais objetivos desta unidade de saúde operacional que é o core da saúde militar: "participar na otimização da componente humana do sistema de forças com vista a um melhor desempenho do militar – em qualquer tipo de missão e nos mais diversos cenários – e, simultaneamente, formar e treinar os recursos humanos, de modo a serem capazes de praticar os melhores cuidados de saúde nesses cenários de missão geralmente adversos, quer hostis como nos cenários de combate, quer caóticos nos cenários de catástrofe, quer contaminados, quer de escassez como é a ajuda humanitária".
O Departamento de Saúde Operacional está organizado em unidades funcionais e não nos tradicionais serviços clínicos: "este centro passou a ser de referência para a avaliação de pré-participação dos candidatos aos Cursos de Tropas Especiais (paraquedistas e comandos), bem como no aprontamento e de retração de forças nacionais destacadas em missões internacionais". Após uma breve resenha da saúde militar em Coimbra, diz: "acreditamos que o nosso centro está bem posicionado para, num futuro próximo, ajudar a colmatar esta lacuna do nosso serviço de saúde que é a não existência de uma unidade de saúde mobilizadora". Uma medicina mais concentrada no militar, numa visão mais holística, é, pois, a atual referência deste centro.
Joaquim Dias Cardoso destacou ainda: "no último ano, a par da atividade clínica que não esmoreceu, tivemos um acréscimo significativo com as atividades relacionadas com a saúde operacional em diversas áreas. Mobilizámos mais equipas para o apoio sanitário a exercícios e cerimónias e outros eventos militares; aumentámos o número de ações no âmbito da avaliação e proteção da saúde da força às unidades da nossa área de influência". Destacou ainda o estreitamento de relações com o Instituto Nacional de Emergência Médica, com a Autoridade Nacional de Proteção Civil e com a Administração Regional de Saúde, bem como a assinatura de um protocolo com a Sociedade Portuguesa de Cuidados Intensivos.
Após a imposição de condecorações, o cirurgião e diretor do Centro de Simulação Clínica da Madeira, Pedro Ramos, proferiu a conferência "Formação e treino simulado em catástrofe". 

 

Partilhe nas redes:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ordem dos Médicos