‘QEF’ é o mais recente livro do médico psiquiatra Luiz Canavarro

‘QEF’ é o mais recente livro do médico psiquiatra Luiz Canavarro

Norberto Canha e José Manuel Silva foram os apresentadores do mais recente livro do médico psiquiatra Luiz Canavarro. ‘QEF', com chancela da Chiado Editora, foi apresentado na Sala Miguel Torga da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, contando com a presença do atual presidente, Carlos Cortes. Ao dar as boas-vindas a todos os que encheram a sala, Carlos Cortes não deixou de vincar o facto de estarmos perante um médico que é "um artista completo", que escreve, pinta e fotografa. "É importante a mensagem humanista ser transmitida de várias formas. A Ordem dos Médicos tem uma forma de comunicar com a sociedade civil, seja na forma de comunicados, entrevistas nos jornais, mas há muitas outras maneiras de tocarmos nas pessoas, nos doentes: a arte é uma forma privilegiada."

Norberto Canha, professor Catedrático da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, deu conta, desde logo, que "este livro é destinado a todas as idades. Este livro é, como quem quer aprender a ler, uma espécie de Cartilha Maternal para os médicos. Considero ainda hoje o melhor livro que há [Cartilha Maternal, de João de Deus].". Ao realçar a personalidade multifacetada do autor, Norberto Canha fez uma leitura comentada de excertos do livro, usando, amiúde, alguns apontamentos de humor sobre a obra agora lançada. Ao autor, Norberto Canha enalteceu o caráter: "A personalidade do escritor – em criança deve ter sido um menino mimado, chefe do grupo da sua idade, destemido, camarada, não se importava de levar uma reprimenda ou um murro para defender o mais fraco. Foi chamado para a tropa antes de se licenciar. Um homem de coragem. Mesmo com medo, avançava. Dava o exemplo. Canavarro, corajoso, disciplinado e disciplinador, é um homem de honra". Mais adiante asseverou: "Não conhecia a veia axiomática de Luiz Canavarro. Mas saúdo-a.
Sendo este livro de prosa, o autor é um poeta de princípios nobres e provocação pura. Este livro é para todos.".
O Professor José Manuel Silva, Bastonário da Ordem dos Médicos e autor do prefácio desta obra, destacou "o prazer de ouvir a leitura comentada do Professor Canha", asseverando que "o livro é extremamente interessante". Disse: "É um prazer lê-lo, já não é o primeiro que leio". Detalhou José Manuel Silva: "Os livros do Luiz Canavarro são provocatórios. Vale a pena ler, pensar, refletir e questionarmos as nossas próprias experiências em função das experiêcias do Luiz Canavarro. É uma pessoa observadora, extremamennte atenta, mordaz. Só discordo quando ele diz [no fim deste livro] que enlouqueceu.
Eu acho que ele foi sempre completamente louco. Recomendo, pois é um livro extremamente divertido. Leiam também os outros livros, porque valem a pena. Certamente ele continuará a escrever e nós continuaremos a ler os livros dele com satisfação.".
Por fim, Luiz Canavarro agradeceu, desde logo, a presença de todos os amigos. "Agradecer aos amigos por me darem dar apoio – suficientemente grande – para que me sinta encorajado a repetir". Prosseguiu: "O ilustre presidente da Secção Regional do Centro chamou-me poeta, escritor, fotógrafo, pintor e médico. O meu único receio é que, em determinadas condições, como fotógrafo fui pintor abstrato, como pintor fui fotógrafo como aqueles carrinhos que andam nas feiras, e, como psiquiatra, às vezes, fui um bocado poeta". Recordando as suas corridas de automóveis, citou um pormenor dos bastidores: "O indíviduo mais bem pago era o afinador, aquele que era capaz de sintetizar tudo o que havia no carro e improvisar uma solução". Por analogia, o médico psiquiatra confessou: "Eu, durante estes anos, fui afinador de juízos.".

 

 

Partilhe nas redes:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ordem dos Médicos