Bastonário defende publicação da Lei do Ato Médico

Bastonário defende publicação da Lei do Ato Médico

 

O Bastonário da Ordem dos Médicos, José Manuel Silva, foi um dos oradores da cerimónia solene de abertura do XI Congresso Nacional de Neurradiologia, que teve lugar em Aveiro, nos 23, 24 e 25 de outubro.
Ao intervir nesta sessão, onde se evocaram os 25 anos da Sociedade Portuguesa de Neurorradiologia, o Bastonário da Ordem dos Médicos fez uma especial saudação a Paulo Mendo (fundador e diretor do primeiro serviço português de neurorradiologia destacou também a presença do presidente da Câmara Municipal de Estarreja, Diamantino Sabina, com quem partilhou a assinatura do acordo de entendimento entre esta autarquia e a Sociedade Portuguesa de Neurorradiologia para a instituição do 'Prémio Egas Moniz'.
Depois de estender as saudações a todos os presentes neste congresso, num "grande amplexo coletivo e individual cumprimento", José Manuel Silva saudou, ainda, os membros da Sociedade Portuguesa de Neurorradiologia, pelas várias iniciativas deste congresso, designadamente ao recordar "o grande português que foi Egas Moniz que a todos deve orgulhar e servir de exemplo, porque, numa época particularmente difícil do país, conseguiu desenvolver um trabalho de investigação que culminou na atribuição do Prémio Nobel".
Na sua intervenção – e reportando-se à atualidade – o Bastonário da Ordem dos Médicos não deixou de invocar a estranheza pela não publicação da Lei do Ato Médico por parte dos deputados da anterior Legislatura. "Nenhum argumento, fosse qual fosse. Houve apenas a expressão de um vago receio se fosse publicada a Lei do Ato Médico. Mas, nós, não nos podemos tolher nas nossas decisões por causa de vagos receios. Devemos procurar liderar as mudanças para o futuro e tomar as decisões que a cada momento nos parecem as mais adequadas, não por um passado que já passou, não por um presente que vai acabar mas para o futuro. Sobretudo pensando nos nossos jovens neurradiologistas que, certamente, quererão também – depois de há 500 anos termos dado novos mundos ao mundo e termos feito a primeira globalização – que não sejam, também eles, impedidos da sua globalização sem pôr em causa a sua qualidade".
Referiu: "Há Colégios, como por exemplo o de Pediatria que estão a dar um passo na sua Especialidade, no sentido de evoluírem na sua formação com a sua Especilidade e Subespecialidades. Provavelmente, há aqui um caminho a trilhar que deve ser analisado sem receios. Há alguns Colégios que têm razões particulares para conversar, como a Neurradiologia e Radiologia mas também a Patologia Clínica e Imunohemoterapia, a Estomatologia e Maxilofacial. ".
Porém, deixou uma nota de preocupação e crítica ao assumir que tem "verificado uma grande dificuldade de diálogo interpares". Questionou, até: "Como é que podemos esperar que os políticos se entendam se os médicos não se conseguem entender e conversar?". Nesta senda, o Bastonário da Ordem dos Médicos desejou que todos trilhem novos caminhos para o futuro, nomeadamente a Neurorradiologia portuguesa".

Foram ainda oradores o Reitor da Universidade de Aveiro, Manuel Assunção, o presidente da Administração Regional de Saúde, José Tereso, e o presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra. Todos assinalaram o contributo inestimável do médico neurorradiologista Paulo Mendo na Medicina portuguesa.
No início desta cerimónia que decorreu no auditório da Reitoria da Universidade de Aveiro, onde também marcou presença Carlos Cortes (presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos), o presidente do congresso, Pedro de Melo Freitas, agradeceu a presença de todas as personalidades ali presentes, quer nacionais quer internacionais. "Este evento, em que se elegeu o 'tema-bandeira' da muito atual intervenção, diagnóstico e terapêutica na fase aguda dos AVC's ocorre numa altura, também ela histórica, pelos reconhecimentos científicos incontestáveis da neurradiologia no tratamento do AVC agudo. A chancela científica da academia aveirense ao nosso evento é um louvor que recebemos com muita consideração diretamente do Magnífico Reitor, figura já incontornável do panorama da educação e ciência em Portugal", disse.

Partilhe nas redes:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ordem dos Médicos