Visita ao Centro de Saúde Norton de Matos

Visita ao Centro de Saúde Norton de Matos

A culminar o périplo de visitas no âmbito do Dia Mundial do Médico de Família, foi a vez do Centro de Saúde Norton de Matos receber os membros da Ordem dos Médicos. A esta iniciativa também se associou, para uma conferência de imprensa, o presidente da Associação Portuguesa de Médicos de Família, Rui Nogueira.

Apesar de uma estrutura funcional e de resposta aos utentes "com ganhos em saúde" – tal como destacou Conceição Milheiro, médica responsável por esta Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) – há ali, no entanto, algumas deficiências: há ali um desfibrilador cujas pás não são validadas há cinco anos. Considerada pela DECO (Associação Portuguesa de Defesa do Consumidor), em 2007, como "a melhor unidade de cuidados de saúde primários do País" e de integrar a unidade curricular de Medicina Geral e Familiar da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, Carlos Cortes enunciou, nesta conferência de imprensa, diversas dificuldades e desconformidades. A título de exemplo, "a desadequação entre os recursos humanos para o número de utentes", bem como a degradação acelerada do edifício. Na UCSP Norton de Matos, que serve 30 mil utentes, dos quais 14 mil não têm médico de família. A UCSP que integra o Agrupamento de Centros de Saúde do Baixo Mondego tem certificação ISO 9001. Mas, por exemplo, faltam neste momento: insulina, analgésicos, pensos, medidores de glicemia. Também Rui Nogueira – que ali trabalha, na USF Briosa – se referiu às "assimetrias" existentes no País, quer na distribuição de profissionais quer na falta de condições para o exercício da profissão por forma a dar resposta aos utentes de forma cabal. "Até as aplicações informáticas [ineficientes] são fonte de stress", aludiu o presidente da APMGF.

 

 

Partilhe nas redes:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ordem dos Médicos