Visita ao Centro de Saúde Dr. Gorjão Henriques

Visita ao Centro de Saúde Dr. Gorjão Henriques

Visita ao Centro de Saúde Gorjão Henriques: USF D. Diniz e USF Cidade do Lis

Em Leiria, no âmbito das visitas que os membros da Ordem dos Médicos têm efetuado aos serviços de cuidados de saúde primários, Carlos Cortes e Catarina Matias – respetivamente presidente e secretária-adjunta da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos – deslocaram-se ao Centro de Saúde Gorjão Henriques, onde funcionam várias unidades funcionais entre as quais a Unidade de Saúde Familiar (USF) D. Diniz, atualmente sob a direção do médico Borrego Pires. "Aqui não temos faltas graves de material, porém, temos muitos médicos a ir para a reforma. O nosso principal problema é mesmo a falta de médicos", sublinhou Borrego Pires, responsável pela USF D. Diniz.
Para 11 519 utentes (dados referentes dezembro de 2014), ali trabalham seis Médicos de Família e seis Médicos Internos da Especialidade, um aluno do 6º ano de Medicina, seis enfermeiros e cinco assistentes técnicos. Com a preocupação cimeira de promover a saúde dos seus utentes, esta USF possui até um jornal quadrimestral de distribuição gratuita. No mesmo edifício do Centro de Saúde Gorjão Henriques, os membros do Conselho Regional do Centro da Ordem dos Médicos visitaram a Unidade de Saúde Familiar Cidade do Lis, atualmente sob a direção de Ana Barros. Com um rácio de 1800 utentes por médico/enfermeiro, esta unidade, que presta assistência a 11329 utentes, possui vários problema designadamente de espaço (gabinetes médicos exíguos) e de material (luvas, por exemplo). Numa reunião, que juntou todos os profissionais desta USF, Carlos Cortes, presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos explicou os motivos desta visitas, uma vez que considera a Especialidade de Medicina Geral e Familiar um dos pilares do Serviço Nacional de Saúde. Nesta ocasião, Ana Barros, que é também presidente do Conselho Distrital de Leiria da Ordem dos Médicos, explicou as principais dificuldades do dia-a-dia, desde a lentidão do sistema informático aos obstáculos à implementação de uma rede de cuidados integrados.

Partilhe nas redes:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ordem dos Médicos