Campanha “Saúde e Bem-estar dos profissionais de Saúde”

Campanha “Saúde e Bem-estar dos profissionais de Saúde”

Está em curso a campanha "Saúde e Bem estar dos profissionais de Saúde" lançada pela Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM). A iniciativa, pioneira no País em organizações deste género, visa dar resposta problemas sentidos pelos médicos. "Para termos uma Saúde de qualidade temos de dar as melhores condições possíveis aos seus profissionais", aludiu o presidente da SRCOM, Carlos Cortes, na conferência de imprensa de apresentação desta campanha. "Temos detetado nos últimos anos, fruto também do impacto da crise económica no nosso País, sentimos que o profissional de Saúde não está a ser apoiado como deveria ser", disse.
Segundo o presidente da SRCOM, "a Ordem dos Médicos decidiu arrancar com esta campanha em três áreas importantes: a prevenção do Burnout(exaustão); a prevenção da violência contra os profissionais de Saúde em contexto laboral e a criação de um gabinete de mediação de conflitos na OM. "Hoje, há uma espécie de crise de identidade nos profissionais de Saúde, já que sentem alguma dificuldade em saber qual é o seu papel nos seio do Serviço Nacional de Saúde ou no próprio sistema de Saúde", aludiu Carlos, nesta conferência de imprensa, durante a tarde, na qual participaram ainda o psiquiatra do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), João Redondo, o médico de família e coordenador do Gabinete de Apoio ao Médico José Augusto Simões, a psicóloga do CHUC Fernanda Duarte e o jurista Luís Filipe Pereira (membro do gabinete jurídico da SRCOM).
Carlos Cortes advogou, aliás, "uma alteração profunda na legislação" por forma a "dar resposta às necessidades" dos profissionais de saúde no seu contexto socioprofissional.
Incluido nesta campanha global, será realizado um inquérito sobre "Burnout" no sentido de conhecer os fatores que desencadeiam a exaustão e, em simultâneo, desenvolver programas que visem a sua prevenção. O estudo, a efetuar por via eletrónica, a todos os médicos inscritos na SRCOM e alunos do primeiro ciclo da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra e da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior. O questionário, voluntário e anónimo, é constituído por "uma bateria de instrumentos de auto-resposta" que permite "de imedaito, a informação do índice de burnout", explicou o psiquiatra João Redondo. Criar um programa de apoio ao médico com sintomas de exaustão é um dos principais objetivos. A responsável pela Consulta de Burnout no CRI de Psiquiatria e Saúde Mental do CHUC deu conta de que "no estrangeiro, os resultados são alarmantes".

À noite, realizou-se a sessão plenária sobre este tema na qual participou o diretor-geral da Saúde, Francisco Geaorge. O médico de Saúde Pública comprometeu-se, aliás, a "abraçar esta campanha aberta" da SRCOM. 

Partilhe nas redes:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ordem dos Médicos