Ana Couceiro, uma artista plástica com multiplicidade de técnicas

Ana Couceiro, uma artista plástica com multiplicidade de técnicas

Caras do mundo em sapatos, um livro de autor, quadros com técnicas mistas com colagem ou em cartão sobre tela com técnicas de impressão. Há várias e múltiplas outras técnicas numa sensibilidade única para fixar o mundo através da pintura: Eis a mais recente exposição de pintura da médica Ana Couceiro, que estará patente, até 3 de março, no Clube Médico da Secção Regional Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM), em Coimbra.
O anfitrião, Carlos Cortes, presidente da SRCOM, "impressionado com a diversidade de produção artística" de Ana Couceiro, sublinhou o facto do "humanismo médico" também se expressar nesta vertente artística. Segundo Carlos Cortes é importante mostrar à sociedade em geral que os médicos não se preocupam só com medicina, pois é também pela escrita, pela oratória, pela pintura, e tantas outras formas de expressão, que defendem os seus doentes.

No momento da inauguração, perante uma vasta plateia de colegas, amigos e família, o cirurgião José Couceiro, marido da artista plástica, destacou o facto desta exposição mais parecer uma exposição coletiva, tal a multiplicidade de técnicas utlizadas. Numa intervenção emotiva, José Couceiro assinalou: "Todos nós temos uma face de artista que era bom que viesse ao de cimo com a facilidade com que alguns o fazem. Era bom que isso se materializasse, pois estamos a passar uma fase de alguma evolução civilizacional, uma vez que os homens e as mulheres da cultura, da escrita, das artes, da filosofia estão a perder campo e isto, aliado a algum conjunto de dirigentes menos cultos, fazem com que se viva numa sociedade do espetáculo mas onde o espetáculo são os mercados. Tudo isto é, também, uma resistência.". Porque, asseverou José Couceiro, "o mundo é melhor, com pessoas que pensam com sensibilidade".
Ao intervir, Ana Couceiro agradeceu a presença de todos no Clube Médico e não deixou de sublinhar o facto da SRCOM ser "uma casa aberta à cultura". A artista pediu desculpa pelo facto das suas exposições não serem temáticas. "Gosto de experimentar todas as técnicas. Quando estou numa já estou a pensar noutra técnica", justificou.
A inauguração desta exposição de pintura contou ainda com um momento de poesia. Paula Couceiro, cunhada da artista plástica, leu três poemas do livro "Os Poemas Possíveis" de José Saramago, de cujo autor também leu "Carta a Josefa, minha avó" (crónica publicada em 1968 no jornal A Capital e anos mais tarde publicada no livro Deste Mundo e do Outro).
Também presente na inauguração desta exposição, o atual Bastonário da Ordem dos Médicos, José Manuel Silva. "Vim porque gosto da artista do pincel e não tenho nada a acrescentar aos artistas da palavra", rematou. Por fim, ao piano, a médica Filomena Correia tocou vários trechos de música erudita.
Esta exposição no Clube Médico da SRCOM, recorde-se, termina a 3 de março.
À exceção de uma obra que esteve patente na exposição de Nova Iorque (2008) todas as restantes são criações recentes da médica Ana Couceiro.

Partilhe nas redes:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ordem dos Médicos