Cerimónia inédita de Juramento de Hipócrates na Covilhã

Cerimónia inédita de Juramento de Hipócrates na Covilhã

Dia de compromisso solene, dia em que jovens médicos recebem a cédula profissional, precisamente no dia em que a Ordem dos Médicos completou 80 anos de existência. Foi um dia marcante na Covilhã, tanto mais que foi a primeira vez que a Secção Regional do Centro acolheu os jurandos nesta bonita cidade beirã.

O dia representou o orgulho e mais uma etapa da dedicação de tantos jovens médicos que, na presença de suas famílias e amigos, receberam a cédula, o pin da Ordem dos Médicos, o livro do bastonário Carlos Ribeiro [Ser Médico: Cartas aos Jovens Médicos], e, também, uma carta da MedUBI. Dia de festa, também, por que a Ordem dos Médicos completou 80 anos de existência, razão pela qual se cantaram os parabéns. Nem faltaram o bolo e as velas reluzentes!A primeira intervenção da cerimónia coube ao Presidente da Sub-região de Castelo Branco da Ordem dos Médicos, Ernesto Rocha, que é também docente na Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior. "É um orgulho esta faculdade ter esta cerimónia. Isto dignifica a região, os estudantes e a própria Ordem ", afirmou. Ernesto Rocha leu também a mensagem enviada pelo Bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, que justificou a sua ausência da seguinte forma: "Estimados Colegas e familiares, por não me ter sido possível estar presente hoje convosco na Covilhã no Juramento de Hipócrates, que também apadrinhei desde a primeira hora, quero deixar-vos uma pequena mensagem através do meu legítimo representante, Carlos Cortes, a quem aproveito para agradecer de forma muito especial por ter tornado possível esta cerimónia na Covilhã e por estar a dar um contributo notável, como presidente do Conselho Regional do Centro da Ordem dos Médicos, para a defesa da qualidade da medicina, dos doentes e dos médicos".
O Bastonário da OM prossegue, na sua mensagem: "No dia em que a Ordem dos Médicos faz 80 anos quero agradecer a todos os médicos que ao longo de todo este tempo contribuíram para a qualidade da nossa medicina e para a formação irrepreensível de médicos de excelência. Neste dia especial não posso deixar de relevar o papel determinante dos médicos na criação das carreiras médicas e na construção do SNS. E por isso, neste dia, quero simbolicamente, em nome de todos os médicos, partilhar este momento e agradecer a todos os portugueses, o caminho que percorremos juntos para edificar uma Saúde melhor. (…) Sei que o Dr. Carlos Cortes vos vai falar dos vários desafios que vão ter pela frente, desde a relação médico-doente e humanização dos cuidados de saúde, até ao absurdo dos problemas informáticos que neste momento enfrentamos. Mas, gostaria de vos deixar algumas mensagens simples, que espero fiquem na vossa memória individual e coletiva. Defendam sempre os valores e princípios em que acreditam e que hoje vão jurar. Não aceitem o excesso de pressão e burocracia que afeta negativamente a relação médico-doente e a prática clínica e prejudica a saúde dos doentes e dos médicos. Sejam exigentes na qualidade da formação e na valorização pessoal e profissional.(…)". Ernesto Rocha finalizando a leitura, assumiu: "Neste discurso está tudo o que vem no Juramento de Hipócrates. Bem-hajam!".

Nesta manhã do dia 24 de novembro de 2018, a cerimónia prosseguiu com a intervenção de Rosa Reis Marques, presidente do Conselho Diretivo da Administração Regional de Saúde do Centro, em representação da atual ministra da Saúde, Marta Temido, que razões de agenda oficial, impossibilitaram a presença da titular da pasta governamental da Saúde. Desta feita, Rosa Reis Marques teve a incumbência de endereçar aos novos médicos os votos de maiores sucessos profissionais, em prol do Serviço Nacional de Saúde e da saúde dos portugueses". Prosseguiu: "Não posso deixar de saudar a Secção Regional do COM pela realização desta iniciativa no interior na Região Centro. dar visibilidade ao interior é contribuir para a coesão nacional, é contrariar essa bipolarização que ameaça essa mesma coesão". Rosa Reis Marques, dirigiu-se, entretanto, diretamente aos jurandos: "Hoje, ides expressar publicamente o Juramento que coloca o doente como parceiro ativo do processo terapêutico. (…). Hoje, o Portugal do século XXI é o Portugal com indicadores de saúde que são o nosso orgulho enquanto país. Para tal, muito contribuiu o SNS". Afiançou: "O SNS é uma das maiores conquistas da História multissecular do nosso país, um avanço civilizacional". Rosa Reis Marques recordou ainda que "foi a 24 de novembro de 1938 que, por força do decreto-lei 291-71 que foi criada a Ordem dos Médicos portugueses e que teve como seu primeiro bastonário um distinto professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, Elysio de Moura.

Coube ao Pro-reitor da Universidade da Beira Interior, Manuel Lemos, representar o Reitor e agradecer à SRCOM a cerimónia na Covilhã, apelidando o gesto de reconhecimento pela formação realizada na faculdade mais a interior do nosso país. "Começa hoje, simbolicamente, um período decisivo para os 80 jovens médicos e este ato evoca a importância da ética e do profissionalismo e do humanismo da prática médica". Em sua opinião, esta cerimónia, reconhece com toda a justiça a formação médica realizada na faculdade mais interior do país, e também o esforço aplicado no desenvolvimento científico e tecnológico que a UBI tem levado a cabo em prol da região e do país". Vaticinou, dando os parabéns à Ordem dos Médicos: "Esperamos continuar a contar convosco para fazer crescer a região e também para ajudar a melhorar as condições de vida das populações do interior".

Por seu turno, Miguel Castelo Branco, diretor da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior, estava particularmente emocionado com esta cerimónia organizada pela Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos. "É, para mim, um momento muito emocional. Para quem tem acompanhado este processo na FCS desde o seu início, o facto de estarmos aqui, pela primeira vez, aos médicos aqui formados é um verdadeiro reconhecimento de todo um trabalho que foi realizado ao longo dos anos". Esta cerimónia representa "um verdadeiro privilégio e um reconhecimento de todo um percurso e de todo um trabalho que foi feito ao longo dos anos, no sentido de criar no interior uma boa escola universitária".

Um dos principais dinamizadores desta cerimónia na Covilhã, Carlos Cortes, disse na sua intervenção: "Não pode haver dois países diferentes: um país do litoral onde, os doentes acabam por ter mais oportunidades, apesar de o serviço não ser o melhor, para resolver os seus problemas de saúde e depois temos os portugueses do interior que tem muito mais dificuldades. E a Ordem dos Médicos, com esta cerimónia do Juramento de Hipócrates na Covilhã – que é uma tradição para ficar e é para se manter aqui todos os anos -, quer transmitir aqui uma mensagem muito importante ao poder político e em particular à ministra da saúde. E essa mensagem é que as pessoas do interior também têm direitos como qualquer outro português", sublinhou o presidente da SRCOM.

A cerimónia, que este ano decorreu no Grande Auditório da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior, assume-se como um ato de grande simbolismo para os profissionais de saúde. Os novos médicos puderam ainda ouvir por parte do presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos que "há uma falta muito grande de recursos humanos nos hospitais da Covilhã, da Guarda e de Castelo Branco, onde não há investimento absolutamente nenhum". Enfatizou: "Parece que existe um esquecimento de que há doentes nesta região e por isso não há necessidades de investimentos nos hospitais. Há queixas enormes sobre a falta de recursos humanos e não se pode fazer medicina e não se pode ter saúde se não existem médicos e outros profissionais. Não existe dúvida absolutamente nenhuma de que existe uma discriminação altamente negativa que prejudica as pessoas do interior", sublinhou aquele responsável. A cerimónia foi apresentada por Andreia Nogueira, do Conselho Regional do Centro da Ordem dos Médicos, António José Novais, do Conselho Nacional do Médico Interno. A presidente da MedUBI, Catarina Gonçalves, também participou da cerimónia de entrega das cédulas, uma vez que também a MedUBI entregava uma carta manuscrita a cada jovem médico.

Nesta cerimónia, marcaram também presença, entre outros, o responsável do Centro Clínico e Académico das Beiras, Taborda Barata; o presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar da Cova da Beira, João Casteleiro; em representação da Câmara Municipal da Covilhã, a vereadora Maria Regina Gomes Gouveia.

Por fim, os parabéns à Ordem dos Médicos e os votos de sucesso para todos!

 

 

 

 

 

Partilhe nas redes:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ordem dos Médicos