A entrega, a dedicação e o exemplo: as bodas de ouro e prata de uma profissão única

A entrega, a dedicação e o exemplo: as bodas de ouro e prata de uma profissão única

Valorizar o exemplo, enaltecer a dedicação, sublinhar a entrega à Medicina e a defesa dos doentes. Na cerimónia em que é prestada uma homenagem aos médicos que completaram 25 e 50 anos de inscrição na Ordem dos Médicos, em Coimbra, coube ao professor António Meliço-Silvestre destacar o prestígio de todos os colegas e o exemplo que deram ao País. O professor catedrático jubilado quis destacar, aliás, em nome de todos, o facto do atual presidente do Instituto Nacional de Medicina Legal e o pai estarem entre os distinguidos pela Ordem dos Médicos, graças a, respetivamente, 25 anos e meio século de carreira. O mais novo é Francisco Manuel de Andrade Corte-Real Gonçalves, o veterano é Francisco Manuel Soares de Albergaria Corte-Real Gonçalves. Ainda antes da entrega das medalhas, juntaram-se os três no púlpito para a fotografia, numa espontânea iniciativa do professor Meliço-Silvestre, amplamente aplaudida. Maria de Lourdes Chieira, ex-diretora clínica do Hospital Pediátrico de Coimbra, é uma das 12 pessoas homenageadas por terem completado 50 anos de carreira. Os outros 10 são Abílio Veiga de Oliveira, Alberto Seabra, Dinis Calado, Eurico Teixeira Dias, Guilherme Jorge, Hermano Gouveia, Joaquim Charneca Caixeiro, Manuel Pires Cabral, Varão Nolasco Dias e Vítor Rosete.

Para Carlos Cortes, presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, é importante que a relação médico-doente seja basilar, reiterando a intenção de que venha a ser consagrada como Património Imaterial da Humanidade, tema aliás que será abordado no próximo Congresso Nacional de Medicina a realizar em Coimbra, em novembro.

Aliás, ao agradecer o papel de todos os homenageados (a cerimónia decorreu a 14 de junho, antecipando o Dia do Médico que se assinala a 18 de junho), Carlos Cortes frisou o "contributo que deram para a construção do Serviço Nacional de Saúde e também para a transição para a Democracia" os médicos que receberam a medalha dos 50 anos de inscrição na Ordem dos Médicos. Aos mais novos, agradeceu o contributo que dão para "manter o grande desígnio que é o SNS". Sublinhou: "É por estes valores humanistas que os médicos foram transmitindo que hoje somos conhecidos como defensores dos doentes, como provedores da saúde". Porém, há obstáculos criados pelas entidades públicas que tutelam o setor. Ao terminar a intervenção, Carlos Cortes invocou a necessidade de lutar contra as adversidades.
Dos 25 anos de inscrição, confirmaram a presença: Ana Marta Marques, Ana Paula Moniz, António de Almeida, Dionísio Alves Correia, Domingos Ramos, Fausto Carvalheira, Gracinda Costa, Hugo Robles de Oliveira, Lourenço Joaquim Coelho, Manuel Carlos Pires, Manuel dos Santos Mariano, Maria Teresa Sandinha, Noémia de Castelo Branco e Paulo Gonçalves.

Esta cerimónia contou com a apresentação de Ana Bárbara Simões (médica de família) e a atuação do Coro da Maternidade Bissaya Barreto. Antes da entrega das medalhas evocativas discursou também a presidente do Núcleo de Estudantes de Medicina da Associação Académica de Coimbra.
A foto de grupo culminou esta cerimónia festiva. Todos inspiradores!

Partilhe nas redes:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ordem dos Médicos