22 de novembro 2019

Informação

Covilhã acolheu a primeira cerimónia do Juramento de Hipócrates de 2019

 

Covilhã acolheu a primeira cerimónia do Juramento de Hipócrates de 2019, no dia 22 de Novembro, cuja cerimónia decorreu no Grande Auditório da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior.

Como anfitrião desta cerimónia, Carlos Cortes agradeceu a presença de todos e destacou desde logo que não há diferenças na abordagem aos doentes porque, e passamos a citar, "não há pessoas das grandes cidades e pessoas das aldeias. Há pessoas que têm exatamente os mesmos direitos que estão consagrados na Constituição da República Portuguesa, nomeadamente o direito à Saúde numa base de igualdade entre todos. Todos os doentes devem ter as mesmas oportunidades, seja qual for o seu género, a sua religião, etc. e também o seu local de residência".

No seu discurso, o presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, Carlos Cortes, não poupou críticas ao Governo, sublinhando que a planificação feita nestas últimas décadas foi "desastrosa" e que "as restrições financeiras impostas ao Ministério da Saúde impedem as contratações mais prementes". Ideia também sublinhada pelo O bastonário da Ordem dos Médicos. Miguel Guimarães espera que o atual governo possa considerar o sector da Saúde como uma das grandes prioridades para o País. "Os médicos naturalmente gostam do SNS, se lhes forem dadas as condições adequadas para exercerem a sua profissão com qualidade não tenho dúvidas que a grande maioria deles fica a trabalhar no serviço público", apontou Miguel Guimarães.

Nesta sessão solene, coube ao médico psiquiatra João Redondo, atual Coordenador Executivo da Agência para a Prevenção do Trauma e da Violação dos Direitos Humanos, proferir a Oração de Sapiência com o tema "A saúde como Direito Humano". O médico psiquiatra explicou logo de início a pertinência e a escolha deste tema: "Vivemos num mundo de grandes convulsões e onde clara e objetivamente os direitos humanos estão postos em causa", referindo que trabalha com vítimas de tráfico de seres humanos e com refugiados, razões para sublinhar que os médicos, sendo "a voz da esperança", podem ter um papel importante na mudança.

Esta foi a primeira de cinco cerimónias de Juramento de Hipócrates que se realizam em diferentes cidades do país: depois da Covilhã, foi a vez desta celebração decorrer em Lisboa, na Aula Magna, e, logo a seguir, no Porto, no Coliseu. No dia 28, Braga acolhe esta sessão solene, restando a última das sessões para Coimbra, dia 7 de dezembro, no Convento São Francisco.
São momentos de forte carga simbólica para os jovens médicos, as suas famílias e amigos.