03 de julho 2019

Informação

Homenagem aos médicos incluiu conferência sobre a História da 'Saúde, Doença e Medicina' em Leiria

 

Decorreu em ambiente festivo a homenagem- e respetiva entrega de medalhas comemorativas - aos médicos com 25 anos de inscrição na Ordem dos Médicos, na sede da Sub-região de Leiria, na noite de 3 de julho. Nesta cerimónia o Professor Doutor Saúl António Gomes abordou a temática: "Saúde, Doença e Medicina na Leiria do Passado", no âmbito da qual o professor catedrático dialogou com a assembleia através de uma exposição e partilha em torno de algumas páginas sobre a história da Saúde e da doença entre os antigos leirienses, em tempos medievais e modernos, elucidando, também, algumas particularidades sobre a prática da Medicina na cidade desses séculos.

Começando por avocar Miguel Torga (pseudónimo do médico e escritor Adolfo Rocha), defendo a tese de que "de uma forma geral, os médicos não são apenas médicos mas também bons escritores, bons historiadores", Saúl António Gomes lembrou, logo no início da sua intervenção, três dos seus ilustres professores universitários de História e todos eles inicialmente formados em Medicina. A saber: António Dias Farinha, Salvador Dias Arnaut, Luis Ferrand de Almeida. "A Medicina não se compreende sem este contexto de pluralidades de vida, de conhecimentos e de criatividade", acentuou.
E a sua longa e interessante intervenção remontou ao tempo dos romanos, sensivelmente há dois mil anos, que "já usavam as águas termais de Monte Real" os quais, "encantados com os deuses ou as deusas" mandaram erigir "uma lápide, agradecendo a dádiva da saúde e dos aspetos curativos das águas termais de Monte Real". Hora e meia depois e com algumas pertinentes perguntas da plateia, o professor universitário ajudou a melhor compreender as circunstâncias históricas dos cuidados de saúde em Leiria.

Carlos Cortes, presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM), assumiu o seu particular gosto e interesse pelo conhecimento da História Universal. "A saúde vai também beber muito à História. Não é por acaso que a Medicina remonta à origem Hipocrática. Nos últimos anos, aliás, temos falado muito da centralidade do doente". Os médicos, mais do que muitas outras profissões, "souberam adaptar-se à modernidade, aos avanços sociais, sabendo sempre guardar a relação médico-doente. O médico tem a obrigação de ser o guardião desta relação", frisou, recordando que há dois momentos que, como dirigente da Ordem dos Médicos, o emocionam: o Juramento de Hipócrates e a entrega de medalhas de reconhecimento. Carlos Cortes destacou, mais uma vez, o empenho e esforço dos colegas que construíram e contribuíram para o atual legado do Serviço Nacional de Saúde que urge defender. Recordou, pois, que é necessário ir sempre buscar aos factos históricos a génese do que hoje se comemora, de forma a melhor integrar a modernidade e os avanços da Medicina. "Aninda durante o período da Ditadura, já os médicos germinavam o SNS nos hospitais civis de Lisboa, culminando no Relatório das Carreiras Médicas que, ao contrário do que o título parece indiciar, não é um documento sindical", sublinhou. Era, sim, "a dedicação e a organização dos médicos para conseguiram dar a melhor assistência aos seus doentes". Ou seja, "quem construiu o modelo do Serviço Nacional de Saúde foram os médicos".
Na sua intervenção, o presidente da SRCOM voltou a colocar o acento tónico na união de todos os médicos em nome da humanização da Medicina, sempre em torno na relação médico-doente. "A classe médica tem atravessado, nos últimos anos, muitas dificuldades. Temos de unir esforços pois ser médico hoje é muito diferente de há 25 e 50 anos", disse.

As distinções que assinalam os 25 de carreira médica foram entregues pelo presidente da SRCOM, Carlos Cortes, e pelo presidente do Conselho Sub-regional de Leiria, Rui Passadouro da Fonseca.
Presentes estiveram também o presidente da Mesa da Assembleia Sub-Regional de Leiria, Luís Morato, bem como uma das colegas que pertence ao Conselho Superior da Ordem dos Médicos, Ana Barros (ex-presidente do Conselho Sub-regional de Leiria).

 

© Texto e Fotos/SRCOM - Paula Carmo