03 de junho 2019

Informação

Carlos Cortes exorta próximo ministro da Saúde a reconhecer importância da formação médica


No culminar dos trabalhos do II Encontro do Internato Médico da Zona Centro, o presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos solicita ao próximo titular da pasta da Saúde maior importância à formação médica. "Teremos o melhor internato médico da Europa mas temos alguns problemas a resolver", sublinhou.

Carlos Cortes lembrou a elevada participação e interatividade das quatro sessões prévias a este congresso - etapas de partilha de ideias e discussão na Ordem dos Médicos - que trouxeram para a ribalta alguns problemas, citando alguns exemplos: "A inflação das notas é algo que me preocupa muito, perdemos o significado do valor das notas, é tudo acima do 19; o facto de estarmos a seriar os internos durante a especialidade; a pouca valorização que é dada aos orientadores de formação; a necessidade de saber qual percurso do médico interno". Um desses problemas foi escalpelizado com maior detalhe: isto é, "a utilização abusiva do trabalho dos médicos internos nos hospitais e centros de saúde para colmatar a falta de recursos humanos". Aponta Carlos Cortes: "As instituições de saúde, públicas ou privadas, devem formar o médico interno. Não podem, obviamente, desvalorizar o seu enorme contributo assistencial - que é valiosíssimo - mas a função primordial é a formação".

Este evento - apresentado pela médica anestesiologista Inês Mesquita, vogal do Conselho Regional do Centro da Ordem dos Médicos - teve lugar nos Hospitais da Universidade de Coimbra - Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, nos dias 31 de maio a 1 de junho.
O Encontro foi organizado pela SRCOM, através do Gabinete de Formação Médica, em colaboração com a Comissão Regional do Internato Médico da Zona Centro e contou com o apoio do Conselho de Administração e Direção Clínica do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra. Teve como objetivo primordial, sublinhe-se, criar um espaço de reflexão sobre formação médica pós-graduada bem como abordar os inúmeros aspetos sobre a respetiva avaliação. A todos os representantes destas entidades o presidente da SRCOM agradeceu o empenho e a dedicação na organização e promoção do encontro. Nos dias 31 e 1 de junho, coube à médica anestesiologista e membro do Conselho Regional do Centro da Ordem dos Médicos, Inês Mesquita, conduzir os trabalhos que decorreram nos auditórios dos HUC - CHUC.