13 de maio 2019

Informação

Apresentação do livro "Curar o Mundo - O Acesso ao Tratamento Médico no Nosso Tempo"

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) acolheu no dia 9 de maio, a apresentação do livro "Curar o Mundo - O Acesso ao Tratamento Médico no Nosso Tempo", da autoria do médico especialista em Hematologia Clínica Carlos Seabra.

A obra, descreve antecipadamente o autor, "é um ensaio sobre a saúde, o acesso ao tratamento médico, a indústria farmacêutica e a investigação científica, sendo, no seu conjunto, um manifesto em defesa do Serviço Nacional de Saúde" e pretende responder a algumas questões como "Porque é que o combate às doenças que afligem a humanidade no nosso tempo acontece de uma forma tão injusta e desigual? Porque é que, apesar de a ciência desenvolver medicamentos eficazes, tantas pessoas sofrem e morrem por falta de tratamento? Como curar os portugueses? Como curar o mundo?".

Na sessão de apresentação, o Presidente da SRCOM, Carlos Cortes, assumiu conhecer bem o autor da obra a quem atribuiu uma visão diferente do mundo e dos cuidados de saúde, em particular: "Tem uma visão muito completa daquilo que é o médico", assevera, acrescentando que o médico não é apenas o que tem uma preocupação científica, técnica e clínica, mas, sobretudo de outra dimensão, mais política no sentido de olhar à sua volta e de se preocupar, por exemplo, com a organização". "Mais tarde", recorda Carlos Cortes, "para além desta faceta, conheci também a faceta de pintor, sensibilidade artística que está relacionada com a sensibilidade médica (...) Há similitudes: cada doente é um quadro". Falando ainda mais sobre o autor, Carlos Cortes refere que se trata de uma colega que "está preocupado com o mundo onde vive, que quer expressar essa preocupação, quer sensibilizar as pessoas para essa preocupação no sentido de refletirmos e encontrarmos soluções para os problemas que estão à nossa volta". Ainda antes da apresentação da obra, Carlos Cortes assinala que, com a intervenção de Carlos Seabra, e tal como o lema que está plasmado na sala Miguel Torga, o autor está em defesa da saúde e dos doentes.


A apresentação do livro esteve a cargo de Manuela Benedito, médica especialista em Hematologia Clínica, que se apresentou aos colegas dizendo que trabalhou sempre e exclusivamente no Serviço Nacional de Saúde, no Centro Hospitalar de Coimbra. "Este livro aparece como uma pedrada no charco", revela, citando o percurso resiliente e de extrema dedicação do autor deste livro aos seus doentes, pugnando para que "fossem sempre tratados de acordo com o estado da arte" e "nunca aceitando que, por razões de geografia ou de opções economicistas, não tivessem acesso aos tratamentos mais eficazes". Lembra, pois, que "Curar o Mundo" está intrinsecamente ligado à vivência pessoal e profissional de Carlos Seabra, sendo sem sombra de dúvidas um manifesto em defesa do Serviço Nacional de Saúde. Seria, aliás, neste enquadramento que Manuela Benedito recordaria o papel fundador desempenhado por António Arnaut.
"Quando podemos tratar os nossos doentes usando a melhor evidência e a nossa experiência?", questiona, por seu turno, aludindo ao complexo mercado da indústria farmacêutica e a relação desta com a Medicina. "A investigação sobre a saúde humana não pode depender apenas da sua rentabilidade", defendeu a médica. Dirigindo-se diretamente ao autor, exortou: "É preciso que as tuas palavras cheguem aos mais novos, que sejam as sementes de mudança para a reconstrução de um sistema de saúde de todos, para todos e com todos".
Coube, pois, ao autor as palavras de agradecimento a ambos, para logo em seguida explicar a origem desta obra, desde a sua ida para Aveiro onde criou o serviço de Hematologia, que deixou de receber mais doentes, a pedido do próprio e face a várias contingências, uma vez que face à escassez de recursos considerou que não estavam reunidas as melhores condições para tratar os seus doentes. Continua a seguir os doentes. Lamenta ainda o fim de um serviço de topo, no Hospital dos Covões, outrora dirigido pelo Dr. Gabriel Tamagnini, e que a seu ver provocou "pouca turbulência na sociedade". Juntando as duas experiências, resolveu pois escrever este livro dado á estampa pela Página a Página.

| Nota Biográfica do autor|
Carlos Seabra (Aveiro, 1970), médico especialista em Hematologia Clínica, concluiu o internato médico no Hospital dos Covões, em Coimbra, no serviço dirigido pelo saudoso Dr. Gabriel Tamagnini, um dos fundadores da especialidade em Portugal. Durante o internato complementar trabalhou no serviço de Hematologia do Hospital de Salamanca, em Espanha, e no Dana Farber Cancer Institute, em Boston, um grande centro norte-americano de investigação na área da oncologia. Em 2006 concluiu uma segunda especialização em Patologia Clínica e integrou o quadro do serviço desta especialidade no Hospital de Aveiro, onde ainda trabalha atualmente. Foi responsável pela consulta de Hematologia neste hospital entre 2006 e 2013.

 

Texto e Fotos ©SRCOM / Paula Carmo