25 de janeiro 2019

Informação

Guiné-Bissau irá condecorar o Prof. Doutor Norberto Canha

 

Norberto Canha, conceituado ortopedista de Coimbra, será distinguido com uma ordem honorífica da Guiné-Bissau, país onde também tem desenvolvido relevante trabalho médico e humanitário. O anúncio foi feito, ontem à noite, pelo diplomata Hélder Vaz Lopes, embaixador em Portugal daquele país africano, durante uma homenagem que decorreu na Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM).
"Ele merece", afirmou o diplomata, acrescentando que o gesto corresponde a um dever do Estado guineense. Palavras que mereceram forte aplauso de muitos colegas e amigos que lotaram a Sala Miguel Torga. Atento aos problemas dos pacientes que sofrem de filariose linfática (elefantíase), Norberto Canha foi elogiado por Hélder Vaz Lopes, que o felicitou pela "marca de altruísmo".
Dedicou-se a doenças esquecidas como só um homem com a generosidade de Norberto Canha pode dedicar-se, afirmou o embaixador da Guiné-Bissau em Lisboa. "Todos reconhecemos tratar-se de uma figura ímpar", concluiu o diplomata.

O homenageado preconizou, ao seu estilo inconfundível, que se repense o passado e se medite sobre o presente para perspetivar o futuro. Falou, aliás, muito de futuro convocando os presentes a uma reflexão, entre outras noções, sobre a inteligência. O que é inteligência?, perguntou, para de pronto responder: "É repensar o passado, pensar o presente para abriri os caminhos do futuro" . Norberto Canha, 89 anos de idade, é professor catedrático jubilado de Medicina e presidiu ao Conselho de Administração dos outrora Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC).

Para Carlos Cortes, presidente da SRCOM (anfitriã da homenagem), enalteceu "o carinho" que os discípulos de Norberto Canha (e não só) por ele nutrem. "Não é frequente haver uma homenagem de reconhecimento pelo trabalho e pelo caminho de vida, a alguém que está connosco", acentuou, acrescentando que é, pois, "com toda a justiça" que se leva a efeito esta homenagem. Asseverou, a este propósito, que "deveríamos homenagear mais as pessoas notáveis que marcam a nossa vida". Carlos Cortes destacou a admiração que todos nutrem o Professor Norberto Canha.
"Em Medicina não bastam os conhecimentos técnicos, a disponibilidade clínica, é preciso ter coração", advertiu Carlos Cortes, em cujo ponto de vista o homenageado é "uma fonte de inspiração" e uma "voz reconhecida no nosso país, na defesa dos mais necessitados". E lembrou também as inúmeras vezes que esteve, precisamente naquela Sala onde decorreu a homenagem (Sala Miguel Torga), dando interessantes contributos em vários debates e sessões. "Foi meu mestre como foi mestre de centenas ou milhares de estudantes", sublinhou Carlos Cortes. "Pelo carinho que transmitiu, pela generosidade do seu caráter, só pode fazer parte de um homem que é profundamente bom". Rematou o presidente da SRCOM: "Toda a sua vida foi um exemplo perfeito daquilo que é ser médico, com todas as suas vertentes no sentido ético, formativo, de solidariedade, de amor ao próximo e fê-lo sempre sem nunca desistir. Até ao dias de hoje. É uma inspiração para todos nós". 

 

Destacando a "dimensão humana" de Norberto Canha, o presidente do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), Fernando Regateiro, louvou-o pela capacidade de não se resignar.
Por seu turno, Paulo Moura, subdiretor da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, destacou também a "marca humana" do homenageado enquanto ortopedista e expressou o desejo da sua Escola no sentido de "seguir o exemplo" do mestre. Para Paulo Moura, à vocação de "homem de missões" junta-se também o seu espírito de permanente inconformismo.

Recorde-se que o catedrático jubilado reuniu uma equipa de profissionais de saúde, há um ano, para rumar à Guiné-Bissau a fim dele ali serem efetuadas 20 cirurgias e o êxito da missão culminou na realização de 47 intervenções. Entusiasmado, o insigne cirurgião projetou, com a sua equipa, uma segunda ida, a concretizar no próximo mês de fevereiro.

 

© Fotos/SRCOM - Paula Carmo