Ordem dos Médicos do Centro recomenda reforço urgente de médicos na Unidade de Cirurgia Plástica e Queimados do CHUC

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) alerta para a necessidade de um reforço urgente das equipas médicas e de meios materiais no Serviço de Cirurgia Plástica e Queimados do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, a fim de assegurar a qualidade dos serviços prestados pela única unidade existente do Serviço Nacional de Saúde na região Centro. É indispensável possibilitar uma resposta adequada para todos os doentes.

"O CHUC não tem atualmente qualquer resposta para estes doentes durante a noite. É grave porque deixa 1,7 milhões de habitantes desprotegidos na região Centro" afirma o presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, Carlos Cortes.

Especifica: "Há problemas graves e intoleráveis para cumprir a escala médica, a partir das 22h, uma vez que o único serviço de cirurgia plástica e queimados da região Centro encerra por não existir uma escala noturna autorizada pelo hospital. Quando surgem situações urgentes durante a noite, como por exemplo, vítimas de queimaduras graves, têm de ser transferidas para outros hospitais do País. Por outro lado, é necessária, também, uma unidade de cuidados intermédios que é atualmente inexistente. São carências muito preocupantes tendo em conta que também acorrem àquele serviço utentes oriundos de vários pontos do país e, muitas vezes, vítimas de catástrofes e acidentes de extrema gravidade".

"Este alerta é necessário para evitar uma calamidade", assume o presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, Carlos Cortes.

"Face aos grandes incêndios que ocorreram o ano passado na região Centro, os profissionais de saúde do Serviço de Cirurgia Plástica e Queimados do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra foram inexcedíveis. Vários responsáveis políticos conheceram as debilidades deste serviço perante a falta de recursos humanos e já elogiaram o trabalho extraordinário e de extrema complexidade ali realizado", sustenta o presidente da SRCOM.

Recorde-se que este serviço cirúrgico está vocacionado para responder ao tratamento de lesões traumáticas e suas sequelas, tumores ósseos, reconstrução mamária, e integra também a Unidade de Reconstrução Génito-Urinária e Sexual.


Coimbra, 27 novembro 2018