22 de março 2020

Cultura

CANCELADO | "Outros Sinais. Um tributo à poesia de António Arnaut"

O projecto "Outros Sinais. Um tributo à poesia de António Arnaut", organização da Câmara Municipal de Coimbra + Amazing Arts, depois do espetáculo realizado no dia 16 de fevereiro iria prosseguir no dia 22 de março, 17h00. No Teatro da Cerca de S. Bernardo, o grupo ArNovo, banda de rock & blues, apresentará 16 músicas para 16 poemas de António Arnaut. Iniciam o concerto o Coimbra Gospel Choir. Porém, face às atuais circunstâncias e política de contenção do COVID-19, é cancelado o Concerto do Coimbra Gospel Choir e da Banda ArNovo agendado para esse dia 22 de março. Oportunamente, informaremos da nova data. 

 

 

 

No calendário deste projeto está marcado para 23 de maio, pelas 18h00, na Casa da Escrita, em Coimbra, a Conferência intitulada "António Arnaut o Homem Poeta, o Homem Político (SNS), o Cidadão Solidário". Oportunamente, e face à evolução da situação epidemiológica, partilharemos informação sobre este evento.

Como dizia A. Arnaut num dos seus poemas "Não me despeço. Havemos de encontrar-nos ontem ou algures (...) Enquanto houver poesia estaremos juntos (...)" . O advogado, natural do concelho de Penela, notabilizou-se pelo percurso cívico, político e, também, cultural, dando uma marca indelével na História de Portugal.

 

 

 

#António Arnaut

 A 4 de novembro de 2016, o Dr. António Arnaut foi a primeira personalidade fora da área da Medicina a receber a Medalha de Mérito da Ordem dos Médicos, no âmbito do Congresso Nacional de Medicina que se realizou no auditório da SubUnidade 3 da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra. Trata-se de uma distinção que é conferida a médicos que, pela sua atividade e mérito pessoal, profissional, académico ou associativo tenham contribuido de forma relevante para a dignificação da profissão médica, da Medicina em geral e da Humanidade, identificando-se assim com os valores desde sempre defendidos pela Ordem dos Médicos.

Arnaut é conhecido e reconhecido por ser um cidadão íntegro, inteiro, com lisura de carácter. Foram inúmeras as homenagens que recebeu em Coimbra e no resto do País. Foi imortalizado no Parque Manuel Braga, em Coimbra, no dia da cidade (4 de julho 2016). Pouco tempo depois, outro busto do fundador do Serviço Nacional de Saúde (SNS) foi descerrado (15 de setembro de 2016) no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), precisamente durante as celebrações do 37.º aniversário do SNS.

No decorrer das comemorações dos 40 anos do SNS, foi erigida a 15 de setembro de 2019 uma escultura que está atualmente no Parque Verde do Mondego, por iniciativa da Liga dos Amigos dos Hospitais da Universidade de Coimbra, Câmara Municipal de Coimbra e Ordem dos Médicos do Centro.

Em Abril de 2016, recorde-se ainda, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, agraciou-o com a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade e o júri do Prémio Nacional da Saúde atribuiu-lhe o Grande Colar, a título honorífico. No entender de António Arnaut, recorde-se, "o Serviço Nacional de Saúde é a trave-mestra da democracia social". Eis, pois, alguns momentos do justo reconhecimento desta conquista civilizacional, em prol de todos os que necessitam de amparo e de cuidados de saúde.

Nasceu na freguesia da Cumieira, Penela, em 1936. Desde estudante, participou nos movimentos oposicionistas contra a ditadura. Fez parte da Comissão de Candidatura do General Humberto Delgado à Presidência da República (1958), integrou a Acção Socialista Portuguesa (1966), foi candidato a deputado pela CDE de Coimbra (1969) e é um dos fundadores do Partido Socialista (1973), a cujo Congresso constitutivo presidiu e de que foi dirigente até se afastar da política ativa, corria o ano de 1983.

É um dos autores da Lei que criou o Serviço Nacional de Saúde (SNS). Em 2014, ao assinalar 60 anos de vida literária (poesia, ficção, ensaio e conferências), com o livro "Cavalos de Vento -poesia e prosa", assumiu: "O SNS é o meu melhor poema". Paula Carmo