25 de janeiro 2019

Homenagem

Homenagem a Agostinho Almeida Santos em reunião que assinala os "20 anos de Telemedicina em Portugal e na CPLP"


O fundador do programa de reprodução medicamente assistida - que funciona nos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC)/Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) desde 1985 - vai ser homenageado no final de uma reunião agendada para dia 25 de janeiro de 2019, no auditório do Hospital Pediátrico do CHUC.

O Professor Agostinho Almeida Santos, professor catedrático de Ginecologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra e que, entre outras facetas marcantes do seu percurso médico, científico, académico, humano e pessoal promoveu em junho de 1988 o nascimento do primeiro bebé através da técnica GIFT (Transferência de Gâmetas para a Trompa), deixou um legado incomensurável.

Ao introduzir em Portugal a procriação medicamente assistida, Agostinho Almeida Santos abriu os horizontes de felicidade a muitas famílias.

Agostinho Almeida Santos presidiu ao Conselho de Administração dos HUC entre 2005 e 2007 e, em 2009, foi designado cônsul honorário de Cabo Verde para a Região Centro, depois de diversos anos de trabalho de cooperação com aquele país africano, na área da Medicina Materno-infantil e na formação de internos em Obstetrícia.
Ilustre personalidade da Medicina Portuguesa, Agostinho Almeida Santos foi igualmente um dos criadores da Sociedade Portuguesa de Ginecologia.

Esta homenagem decorre no evento comemorativo dos "20 anos de Telemedicina em Portugal e na CPLP", no âmbito da qual se inclui uma conferência do Bastonário da Ordem dos Médicos. Miguel Guimarães debruçar-se-á sobre a visão da instituição sobre o futuro da Telemedicina em Portugal.

A Associação Portuguesa de Telemedicina é atualmente presidida por um dos principais promotores da Telemedicina, o médico Eduardo Castela.

Recorde-se que Agostinho Almeida Santos apresentou a sua demissão do cargo de presidente do CA dos HUC ao ministro da Saúde Correia de Campos (2007) por discordar do corte de 58 milhões de euros no orçamento da instituição considerando que tal comprometia uma gestão rigorosa da instituição, uma unidade que recorrentemente apelidava de "unidade hospitalar de referência". Agostinho Almeida Santos foi crítico acérrimo da empresarialização dos hospitais. A sua última lição como universitário foi proferida em Outubro de 2010, em Paris (onde estudou e se doutorou em reprodução humana) no âmbito das X Jornadas Europeias de Ginecologia e Jornadas Albert Netter da Sociedade de Ginecologia.


Ver programa: